Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Desembargadora Federal, Maria do Carmo Cardoso, que é mãe da apadrinhada de Bolsonaro para o CADE, concedeu liminar para suspender determinação da 6ª Vara Federal do Distrito Federal que proibia os atos de comemoração do aniversário de 55 anos do golpe militar de 1964. 
Segundo a Veja, em matéria assinada por Robson Bonin, a indicada de Bolsonaro para o Cade, a advogada Lenisa Prado já foi acusada pelo Ministério Público de integrar um esquema de venda de sentença, do qual também faria parte sua irmã, a advogada Renata Prado. As duas são filhas da desembargadora Maria do Carmo Cardoso, que caiu nas graças de Bolsonaro.

Em 2017, Veja revelou mensagens de outra história envolvendo as irmãs. Arquivos obtidos pela revista sugeriam que Renata vendia decisões de ministros do STJ à JBS. No conjunto de mensagens, que foi entregue ao MP, Renata deixa claro que Lenisa também defendia os interesses da JBS no tribunal — a ponto de despachar pessoalmente com ministros.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Única nota 1000 do ENEM de Pernambuco faz homenagem a seu professor de Português

Exclusivo: Sai João e entra Tadeu na sucessão no Recife

Coincidência: donos do terreno desapropriado por R$ 38 milhões por Geraldo Julio são parentes de outro prefeito do PSB

Perito do TJPE aponta sobrepreço de 100% no valor da indenização de R$ 38 milhões que a Prefeitura do Recife pretende pagar por imóvel na Av. Norte

Ataques de Secretário de Geraldo Julio contra Patrícia Domingos em debate são confissão de pânico de uma possivel candidatura da policial à Prefeitura do Recife