À PF, delator da Operação Turbulência contou que gravou conversas para corroborar delação



O delator João Carlos Lyra contou à Polícia Federal, em depoimento prestado à delegada federal Andrea Pinho, no dia 05 de setembro de 2018, que gravou a conversa com Iran Padilha, apontado como operador de propinas para a família Bezerra Coelho, para fazer prova da veracidade de sua delação. Ainda segundo o delator, este desconfiava que Fernando Bezerra Coelho pretendesse dissuadi-lo de revelar algum ilícito em sua colaboração premiada, porque nem ele nem Iran Padilha saberiam que ele, João Carlos Lyra, já fizera delação premiada e que esta fora homologada pelo STF:





 





MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"

Auditoria do TCE/PE constatou fraude fiscal, sonegação fiscal, superfaturamento, não prestação dos serviços em contrato de mais de R$ 16,7 milhões da ALEPE. Com a palavra o MPPE, o MPF, a Receita Federal e a Polícia Federal