À PF, delator da Operação Turbulência contou que gravou conversas para corroborar delação



O delator João Carlos Lyra contou à Polícia Federal, em depoimento prestado à delegada federal Andrea Pinho, no dia 05 de setembro de 2018, que gravou a conversa com Iran Padilha, apontado como operador de propinas para a família Bezerra Coelho, para fazer prova da veracidade de sua delação. Ainda segundo o delator, este desconfiava que Fernando Bezerra Coelho pretendesse dissuadi-lo de revelar algum ilícito em sua colaboração premiada, porque nem ele nem Iran Padilha saberiam que ele, João Carlos Lyra, já fizera delação premiada e que esta fora homologada pelo STF:





 





MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

TRF5 nega liminar no HC para soltar empresário Paulo Magnus, preso pela PF na Operação Desumano: "rege a orquestra da organização criminosa"