Câmara de São Lourenço da Mata nega que exonerações de comissionados tenha relação com visita do DRACO




A divulgação de uma lista de exonerações de cargos comissionados da Câmara Municipal de São Lourenço da Mata gerou especulações de que a decisão seria consequência de uma diligência realizada na Casa Legislativa, pelo Departamento de Combate ao Crime Organizado DRACO, noticiada, com exclusividade, aqui mesmo, pelo Blog da Noelia Brito.

Questionada pelo Blog, no entanto, a Câmara de São Lourenço da Mata negou qualquer vinculação entre esses fatos. Leiam a nota enviada pela assessoria da Câmara esclarecendo que as exoneraçoes visam adequação à Lei de Responsabilidade Fiscal.

 NOTA RESPOSTA

Sobre as exonerações de cargos comissionados, a Câmara Municipal de São Lourenço da Mata informa que não há ligação entre a ação da DRACO, ocorrida no último dia 4 de setembro, mas sim, trata-se de uma tomada de decisão, que segue uma recomendação da Controladoria, para redução do quadro de cargos comissionados. O objetivo: adequar as despesas com pessoal nos limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), e assim, garantir o bom funcionamento da Casa de Leis. Sem mais, nos colocamos à disposição para quaisquer esclarecimentos. Atenciosamente,

Câmara Municipal de São Lourenço da Mata
Presidência Casa Jair Pereira de Oliveira

O BLOG teve acesso a um documento da Controladoria da Câmara de Sao Lourenço da Mata que noticia uma denúncia anônima acerca dos pagamentos de diárias  a servidores da Casa e a duas listas de exoneraçoes. Segue:



1

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Lava Jato chega a Pernambuco: "Amplo esquema criminoso leva Lava Jato a bloquear mais de R$ 3,5 bilhões do PSB, de FBC, do Espólio de Eduardo Campos, Do MDB e de Eduardo da Fonte além de vários empresários

Cunhado de Paulo Câmara ganha cargo comissionado na Presidência do TRT6. Funcionários veem favorecimento

Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Presbítero e Pastor da Assembleia de Deus denunciam "rachadinhas" de deputado e vereadora com membros da Igreja ao MPPE.