Dodge também teria arquivado anexos citando presidente do TCU, José Múcio e Corregedor do CNJ, Humerto Martis, da delação de Leo Pinheiro, diz o Antagonista


O Antagonista apurou que, dos mais de 100 anexos da delação premiada de Léo Pinheiro, a procuradora-geral Raquel Dodge determinou o arquivamento sumário de cinco deles – todos muito bem fundamentados.

Além de Rodrigo Maia e do irmão de Dias Toffoli, teriam sido citados ministros do STJ e do TCU.

Em janeiro, a Folha publicou que um dos delatados pelo ex-presidente da OAS seria o ministro Humberto Martins, atual corregedor-geral do CNJ. Ele teria recebido R$ 1 milhão, por meio do escritório do filho Eduardo Martins.

No caso do TCU, um dos ministros citados seria José Múcio, atual presidente da Corte. Em nota, ele negou qualquer benefício. E ressaltou que votou contra o interesse da OAS no processo que avaliava sua participação nos leilões dos aeroportos do Galeão e de Confins.

Na última quarta-feira, seis procuradores do grupo de trabalho da Lava Jato apresentaram demissão coletiva por discordarem da decisão de Dodge sobre o arquivamento dessas acusações, antes da apreciação do ministro Edson Fachin.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos