Em pronunciamento na Alepe, deputado William Brígido manifesta preocupação com perda de recursos para Segurança em razão da inexistência de delegacia especializada no combate à corrupção em Pernambuco


Em pronunciamento há pouco na Tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o Deputado Estadual William Brigido, do Republicanos, manifestou preocupação com  "o risco que nosso estado corre, de não receber recursos financeiros do Fundo Nacional de Segurança Pública, pela falta de uma Delegacia de Combate a Corrupção".

O deputado de oposição lembrou que "o Diário Oficial do Estado do Ceará de ontem, 03 de setembro, publicou um decreto do Governador, criando a Delegacia de Combate à Corrupção. Lá, o novo órgão surge da necessidade de estender a política de combate à criminalidade e ao desvio de recursos públicos, o que impõe a estruturação de uma delegacia especializada."

O parlamentar lembrou a necessidade de se "Contar com uma delegacia que trabalha, exclusivamente, no combate à corrupção", por ser "um dos critérios para que os Estados participem do rateio destes recursos oriundos do Ministério da Justiça. Serão 5% dos recursos rateados entre os estados que atenderem o critério para fomentar a criação e efetivo funcionamento nas Polícias Civis, destinado ao combate à corrupção."

 "O Fundo Nacional de Segurança Pública foi instituído por lei em 2001. Em 2018, a Lei nº 13.756 trouxe definições sobre a destinação de recursos das loterias para a segurança pública. O FNSP tem por objetivo garantir recursos para aprovar projetos, atividades e ações nas áreas de segurança pública e de prevenção à violência, observadas as diretrizes do Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social", disse o republicano.

William Brígido lembrou que "or ter decidido pela extinção da DECASP, substituindo-a, por um departamento que abrange todos os tipos de crime organizado, o DRACO, o Governador Paulo Câmara, priva Pernambuco dos recursos federais, que poderiam ser destinados, por exemplo, ao avanço da tecnologia e a integração de bancos de dados; além de outros mecanismos de eficiência de controle, prevenção e repressão à corrupção em nosso estado".

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos