Ipojuca pagou R$ 30 milhões para escritório de advocacia, mas deixa população sem atendimento laboratorial por débito de R$ 281 mil.



O Laboratório Jefferson Andrade, responsável por prestar serviços de análises clínicas e laboratoriais ao sistema de saúde pública de Ipojuca, encontra-se fechado – desde julho. 
A população cobra da prefeitura da cidade uma solução para o caso, já que o Jefferson Andrade é o único fornecedor do município, desde 2014, desse tipo de serviço.

De acordo com os responsáveis pelo laboratório, o débito da Prefeitura de Ipojuca com a empresa seria da ordem de R$ 281 mil,  o que para um município que pagou mais de 30 milhões de reais em honorários advocatícios para um único escritório por uma Ação para recebimento de royalties do petróleo não é muito dinheiro.

A inadimplência estaria ocorrendo deste abril deste ano, implicando em descumprimento do contrato e, por conseguinte, inviabilizando o atendimento aos dependentes do SUS. 

Apesar de inúmeras tentativas de acordo, a diretoria do Jefferson Andrade, informa que teve que suspender os trabalhos por falta de recursos. Pacientes que dependem do local para realizar coletas de sangue e exames mais complexos correm risco de saúde em razão da falta de pagamento pela prefeitura.

No momento, e o que é mais grave, ainda não houve licitação para novo laboratório, nem há previsão. Enquanto isso, a população fica desassistida do importante serviço de saúde.

O Blog está à disposição para que todas as pessoas, empresas e entidades citadas na matéria encaminhem os esclarecimentos que entenderem pertinentes.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Sai PSB e entra PSL no comando do Diário de Pernambuco comprado por bolsonarista que chamou jornalistas de mentirosos e depois apagou o Twit

Políticos pernambucanos em pânico: Agiotas do Jatinho que delataram FBC gravaram conversas com delatados e entregaram áudios à PF, revela decisão de Barroso

Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Conselheiro do TCE/RJ, ligado ao MDB, é o mandante do assassinato de Marielle, revela inquérito da Policia Federal. O motivo seria vingança contra Freixo por perda do foro privilegiado