Operação Chargeback da Polícia Civil de Pernambuco desarticula ORCRIM especializada em fraudes bancárias e lavagem de dinheiro. Advogado estaria entre investigados



A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, por intermédio da Polícia Civil do Estado, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 5, no âmbito do Pacto pela Vida,, a 72ª Operação de Repressão Qualificada do ano, denominada "CHARGEBACK", vinculada à Diretoria Integrada Metropolitana - DIM, sob a presidência do Delegado João Gustavo.

A investigação começou em maio de 2019, com objetivo de prender integrantes de Organizações Criminosas, voltada para a prática dos crimes de: FURTO MEDIANTE FRAUDE A INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS; ESTELIONATO; LAVAGEM DE DINHEIRO; e ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA.

São cumpridos oito mandados de prisão e vinte e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar, expedidos pela MM Juíza da 2ª Vara Criminal da Comarca da Capital. O Blog apurou que pedido de busca e apreensão contra um famoso advogado recifense, integrante do esquema, teria sido negada pela Justiça.

Na operação atuam 130 Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães, sob a coordenação da DIM e supervisionada diretamente pela Chefia de Polícia.

As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco - DINTEL e pelo LAB-LD (Laboratório de Tecnologia Contra a Lavagem de Dinheiro).

O termo chargeback, cada vez mais popular, diz respeito ao cancelamento de uma compra feita em uma loja digital com o uso do cartão de crédito ou de débito.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PCPE

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Sai PSB e entra PSL no comando do Diário de Pernambuco comprado por bolsonarista que chamou jornalistas de mentirosos e depois apagou o Twit

Políticos pernambucanos em pânico: Agiotas do Jatinho que delataram FBC gravaram conversas com delatados e entregaram áudios à PF, revela decisão de Barroso

Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Conselheiro do TCE/RJ, ligado ao MDB, é o mandante do assassinato de Marielle, revela inquérito da Policia Federal. O motivo seria vingança contra Freixo por perda do foro privilegiado