Operação contra FBC e Fernando Filho decorreram das delações dos "laranjas" do jatinho pegos pela Turbulência



A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (9), a Operação Desintegração, com o propósito de desarticular um esquema criminoso de pagamentos de vantagens indevidas, por parte das empreiteiras, em favor do líder do governo Bolsonaro, Fernando Bezerra Coelho e de seu filho, o deputado federal Fernando Filho.

FBC, como é conhecido o político pernambucano, mantém-se no poder deste o governo Dilma, passando po governo Temer, quando emplacou seu filho como ministro e hoje se mantém na liderança de Bolsonaro. As irregularidades teriam ocorrido na época em que o político foi ministro de Dilma.

Polícia Federal cumpriu mandados no escritório político de FBC, na cidade de Petrolina, cujo prefeito é um dos filhos do senador pernambucano


A investigação, instaurada no ano de 2017, teve início a partir de colaborações firmadas com investigados presos no âmbito da Operação Turbulência, os agiotas João Carlos Lyra e Eduardo Ventola, deflagrada em junho de 2016 e que apurava, por sua vez, o uso de empresas de fachada, controladas pelos aludidos colaboradores, na lavagem de dinheiro de empreiteiras e no pagamento de propinas a políticos.

Os colaboradores confirmaram o pagamento de vantagens indevidas a FBC, entre os anos de 2012 e 2014, realizados por empreiteiras que estavam executando obras custeadas com recursos públicos, principalmente na Transposição do Rio São Francisco e no Canal do Sertão.


Momento da chegada dss equipes da PF na Superintendência de Pernambuco, no Recife, trazendo documentos apreendidos nas residências dos políticos 

A investigação também constatou que dívidas pessoais de Fernando Bezerra Coelho, principalmente relativas às campanhas eleitorais, foram pagas pelas empresas ora investigadas, conforme divulgou a Revista Crusoé, em matéria do jornalista Fábio Serapião.

Por ordem do Supremo Tribunal Federal, foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão envolvendo endereços de todos os investigados. O Blog apurou que foram cumpridos mandados nos apartamentos de FBC e de Fernando Filho, no Recife e no escritório politico de ambos, em Petrolina. Além desses locais, os gabinetes dos parlamentares no Senado e na Câmara foram alvos de buscas e apreensões.

Aproximadamente 220 policiais federais estão participando das diligências e ações nesta data.

MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Com salário líquido de R$ 7,9 mil, Secretário de Geraldo Júlio, preso pela PF por desvios no DER, confessa prática de agiotagem e posse de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Prefeitura silencia