Petrobras leva multa de R$ 700 mil da CPRH por vazamento denunciado em primeira mão pelo Blog da Noelia Brito. Possível crime ambiental também é investigado pela PF



A Agência Pernambucaba de Meio Ambiente - CPRH, aplicou multas que totalizam 705 mil reais contra a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) em razão do vazamento de 5 m3 de óleo, ocorrido no último dia 27 de agosto em Suape.

O vazamento, que foi denunciado, em primeira mão pelo Blog da Noelia Brito (Confira em https://www.blogdanoeliabrito.com/2019/08/exclusivo-vazamento-na-refinaria-abreu.html), atingiu uma área de 4,5 hectares, em Ipojuca., causando danos O à fauna e à flora do Rio Taveiro do Meio.

A Polícia Federal enviou peritos para o local para avaliar se os danos ao Meio Ambiente constituíam crime ambiental. O Laudo ainda não foi divulgado.

A Rnest terá que apresentar um plano de remediação para a região afetada, já que o óleo atingiu animais que vivem na área, como cobra-d'água, jacaré e pássaros, além da vegetação do mangue e restinga.

Pela contaminação do Rio Taveiro do Meio, a CPRF estabeleceu uma multa de R$ 500 mil. Já pelo impacto provocado, foram expedidas mais duas autuações cada uma no valor de R$ 100 mil. Além disso, a Refinaria terá que arcar com R$ 5,9 mil por infringir a Lei Estadual 14.249/2010, sobre licenciamento ambiental.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Corruptocracia Pernambucana: Prefeito com tornozeleira é recebido com festa ao retornar ao cargo depois de desviar quase cem milhões da Previdência. Veja o vídeo

Contrato da iluminação pública de Olinda leva à condenação da vice-governadora de Pernambuco e ex-prefeita do município por improbidade administrativa com suspensão dos direitos políticos por seis anos

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

DRACO pede e TJPE autoriza prisão do filho do operador pivô do afastamento do prefeito de São Lourenço da Mata e da prisão do prefeito de Camaragibe

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"