Tribunal anula concurso e procurador de contas perde cargo após 20 anos em Goiás

Fernando Carneiro perderá o cargo após 20 anos

A 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) decidiu, por unanimidade, anular um concurso realizado há 20 anos pelo Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE) e Celmar Rech, que preside a Corte de Contas goiana teŕá que afastar o procurador de contas Fernando dos Santos Carneiro do cargo.

A ação foi movida em 1999, pelo filho de um conselheiro aposentado do TCE-GO, Eurico Barbosa Santos Filho, que disputou o certame. O autor da ação sofreu dois revezes nas Justiça, mas, insistiu na demanda e se sagrou vencedor. Fernando Carneiro é o único prejudicado pela decisão, já que é o único dos aprovados daquele concurso ainda atuando. Os demais procuradores de Contas que passaram na prova pediram exoneração.

Segundo a desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis, houve ilegalidade na contratação sem licitação da banca examinadora, composta pelo Centro de Seleção e Promoção de Eventos (Cespe), além de questões em desconformidade com o edital.

A relatora ainda destacou que o Poder Judiciário não pode chancelar um concurso “eivado de máculas que tem o condão, até mesmo, de denegrir o Poder Público, tendo em vista a condução do certame por pessoas sem a necessária qualificação técnica e pela nomeação e posse de indivíduos que ingressaram (…) ao arrepio das exigências editalícias”.

O desembargador Fausto Moreira Diniz e o juiz substituto Roberto Horácio de Rezende acompanharam a relatora, cuja decisão é pela anulação de atos posteriores ao certame, até mesmo nomeações.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Milionários pernambucanos aparecem na "caixa preta" do BNDES anunciada por Bolsonaro. Saiba quem são.

Sai PSB e entra PSL no comando do Diário de Pernambuco comprado por bolsonarista que chamou jornalistas de mentirosos e depois apagou o Twit

Políticos pernambucanos em pânico: Agiotas do Jatinho que delataram FBC gravaram conversas com delatados e entregaram áudios à PF, revela decisão de Barroso

Veja: Bolsonaro indica para o CADE advogada acusada de vender decisões do STJ para a JBS. A advogada é filha de uma desembargadora federal bolsonarista

Conselheiro do TCE/RJ, ligado ao MDB, é o mandante do assassinato de Marielle, revela inquérito da Policia Federal. O motivo seria vingança contra Freixo por perda do foro privilegiado