Kakay lança livro "Relações Obscenas", sobre as revelações do Intercept no I Colóquio de Direito Criminal no Recife



 O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido popularmente como Kakay, lançará, com tarde de autógrafos, o livro “Relações obscenas”, do qual participou como coautor, no I Colóquio de Direito Criminal de Recife que acontecerá no próximo dia 11/10, as 9h no Teatro RioMar Recife. 

 Kakay será um dos palestrantes do evento que contará com a presença de renomados advogados da seara criminal como Zanone Júnior, Rawlinson Ferraz, Raimundo Palmeira, Paulo Lopo, Geovane Moraes, Emerson Leônidas, Emerson Castelo Branco, Elias Mattar Assad, Eliane Gaia, Carlos Barros, Bruno Baptista, Antônio Nabor Areias Bulhões e André Rabelo que juntos levarão muito conhecimento ao público por meio de um formato irreverente e diferente dos eventos da área. 

O livro “Relações Obscenas” traz a visão e a análise crítica e minuciosa de intelectuais e célebres figuras do campo progressista brasileiro sobre a #VazaJato, um dos maiores escândalos da história da República, esmiuçando as relações nada apropriadas entre o Ministério Público Federal, o Judiciário e setores da direita nativa. 

 SERVIÇO: Lançamento do livro “Relações Obscenas – As revelações do The Intercept/BR” 

Data: 11 de outubro de 2019 
Horário: 9h as 18h30 
Local: Teatro RioMar Recife- Avenida República do Líbano, 251, Pina – Recife 

Inscrições e vendas: www.teatroriomarrecife.com.br Informações: Dra. Eliane Costa - coordenadora executiva - (81) 99968-4112 Realização: Juspleno

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"

Auditoria do TCE/PE constatou fraude fiscal, sonegação fiscal, superfaturamento, não prestação dos serviços em contrato de mais de R$ 16,7 milhões da ALEPE. Com a palavra o MPPE, o MPF, a Receita Federal e a Polícia Federal