Líder do PSL diz que Bolsonaro desmerece o prato que comeu



O Antagonista ouviu do líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir, que "a gente não pode desmerecer o prato que comeu. Se o nosso presidente está hoje no Palácio do Planalto, ele tinha que ter uma sigla e essa sigla foi o PSL. Você não pode bater em pai e mãe, né? O nascimento do presidente… todos nós dependemos do partido. Gratidão é uma palavra mágica. Gratidão e lealdade.”

O deputado também afirmou que o presidente precisa “dar detalhes” de sua declaração.

“Quem tem que dar detalhes sobre isso é o presidente. O presidente precisa esclarecer. Se tem fatos que ele sabe, que eu não sei, que você não sebe, que o cidadão não sabe, ele tem que trazer a público.”

Bolsonaro se deixou gravar na manhã de hoje mandando um pré-candidato a vereador do Recife esquecer o PSL porque o partido e seu presidente, Luciano Bivar estariam "queimados".

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

"Jovem deputado foi nutrido na mamadeira da Odebrecht", responde Antonio Campos ao sobrinho João Campos após ser chamado de "mau sujeito" em audiência da Câmara

Remuneração a juíza do TJ-PE chega a mais de R$ 1 milhão em novembro, revela a Folha de São Paulo

Paulo Câmara liberou R$ 60 milhões para pagar férias indenizadas no TJPE beneficiando a própria mulher que é juíza. Para os demais servidores, aumento na alíquota da Previdência. Manobra foi revelada pela Folha de São Paulo