PF mira Collor por esquema de lavagem de R$ 6 mi em leilões


Do Estadão 

Operação Arremate cumpre 16 mandados de busca e apreensão para investigar ocultação de patrimônio do senador através da arrematação de bens em hastas públicas

Pepita Ortega e Fausto Macedo

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta, 11, a Operação Arremate, visando desarticular um esquema de lavagem de dinheiro envolvendo compras de imóveis em hastas públicas. A ação investiga suposto envolvimento do senador e ex-presidente Fernando Collor em arrematações de bens, que, segundo a PF, somam R$ 6 milhões.

Cerca de 70 policiais federais cumprem 16 mandados de busca e apreensão em Maceió (AL) e em Curitiba (PR) para angariar provas para a investigação.


As ordens foram autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal.

Segundo a PF, a ação tem como identificar se Collor foi responsável por arrematações de imóveis em hastas públicas – momento em que são vendidos bens de um devedor para que sejam pagos custas e despesas de um processo – que teriam acontecido em 2010, 2011, 2012 e 2016.

A corporação diz que o senador teria utilizado um ‘testa-de-ferro’ para ocultar sua participação como beneficiário final das operações.

“As compras serviriam para ocultar e dissimular a utilização de recursos de origem ilícita, bem como viabilizar a ocultação patrimonial dos bens e convertê-los em ativos lícitos”, diz a Polícia Federal.

A PF indicou que os envolvidos poderão responder pelos crimes de lavagem de ativos, corrupção ativa e passiva, peculato, falsificações e por participação em organização criminosa.

COM A PALAVRA, A DEFESA

A reportagem busca contato com a defesa do senador. O espaço está aberto para manifestações.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia