Escritório de advocacia paulista, agência de publicidade pernambucana e instituto de pesquisa baiano são alvos da PF em operação contra ministro do TCU e senadores

Posse de Vital do Rego no TCU


Do Antagonista

Por Renan Ramalho

A operação da PF de hoje que mira Renan Calheiros, Eduardo Braga e Vital do Rêgo fez buscas numa banca de advogados e procurou sócios de um instituto de pesquisa que teriam sido usados para efetuar repasses da JBS aos caciques do MDB em 2014.

Um dos mandados de busca expedidos por Edson Fachin visa coletar provas no Escritório de Advocacia Rubens Ferreira & Vladimir Silveira, em São Paulo. Em delação premiada, Ricardo Saud, ex-diretor da JBS, disse que pagou R$ 4 milhões para Vital do Rêgo por meio da banca.

O atual ministro do TCU teria recebido R$ 6 milhões no total, para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff em 2014. Os outros R$ 2 milhões teriam sido pagos por meio da Makplan, empresa de comunicação, e em espécie.

A PF também sócios da Campus Centro de Estudos e Pesquisa de Opinião Ltda., sediada em Salvador, a depor. A empresa teria sido usada por Eunício Oliveira para receber R$ 2 milhões da JBS — o ex-senador teria recebido R$ 5,6 milhões para fechar a aliança com o PT.

Os pagamentos da JBS a membros do MDB do Senado teria alcançado mais de R$ 40 milhões e teria beneficiado também Jader Barbalho, Romero Jucá,  Edison Lobão e Valdir Raupp.


MAIS VISITADAS DO MÊS

Corruptocracia Pernambucana: Prefeito com tornozeleira é recebido com festa ao retornar ao cargo depois de desviar quase cem milhões da Previdência. Veja o vídeo

Contrato da iluminação pública de Olinda leva à condenação da vice-governadora de Pernambuco e ex-prefeita do município por improbidade administrativa com suspensão dos direitos políticos por seis anos

STF derruba sigilo de gastos da Presidência e Bolsonaro terá que mostrar faturas milionárias do cartão corporativo

DRACO pede e TJPE autoriza prisão do filho do operador pivô do afastamento do prefeito de São Lourenço da Mata e da prisão do prefeito de Camaragibe

Cabos da PM/PE denunciam que governo de Pernambuco só promove oficiais: "Quanta injustiça numa única corporação!"