Prefeitura do Recife gastou milhões com tablets, programas e internet, mas aluno da rede municipal tem que usar tablet de loja para pesquisa escolar. Com a palavra o MPPE e o TCE e a DRACO

Guilherme é aluno de uma escola municipal do Recife, município que gasta milhões com TI, mas precisa usar equipamentos de lojas em shoppings para fazer a tarefa

A imagem de um aluno da rede municipal de ensino do Recife fazendo uma pesquisa escolar num tablet exposto em uma loja da Samsung no Shopping Recife ganhou repercussão nacional e as páginas de grandes jornais do Estado e do País.

Prefeitura do Recife gasta milhões em propaganda para divulgar investimentos em TI na Educação, mas realodade desmente os factóides criados pela gestão Geraldo Julio

O aluno, identificado como Guilherme, estuda na Escola Municipal Abílio Gomes, da Prefeitura do Recife e aparece no vídeo, feito por um cliente do shopping, com uma mochila nas costas, escrevendo em um caderno posicionado bem ao lado do tablet.


A imagem sensibilizou a tal ponto que foi noticiada uma vaquinha para ajudar o estudante.


O que ninguém fala é que a Prefeitura do Recife, a quem pertence a escola onde Guilherme estuda, tem gasto milhões de reais com a aquisição de tablets, programas, notebooks e aplicativos que supostamente seriam destinados aos alunos da rede municipal. Além disso, outros milhões são aplicados, supostamente, em internet para as escolas.

Foto institucional da Prefeitura do Recife 


É, portanto, no mínimo, estranho, que o aluno Guilherme precise utilizar equipamento de uma loja num shopping para fazer suas pesquisas para solução das tarefas escolares.


Ao que tudo indica, denunciar gastos inexplicados ou suspeitos contra a gestão do Prefeito Geraldo Júlio é perda de tempo, pois nossa editora protocolou denúncias assinadas contra a incomprovada gastança com equipamentos e serviços de tecnologia da informação junto ao MPPE e ao que se sabe, providências efetivas não foram tomadas, a ponto de vermos hoje a inacreditável cena de um aluno municipal ter que ir a uma loja de shopping para fazer pesquisas. Afinal, onde foram parar os equipamentos e programas supostamente comprados pela Secretaria de Educação de Geraldo Julio e que são objeto de milionária propaganda institucional da Prefeitura?


Não é de hoje que este veículo denuncia os gastos de Geraldo Julio com equipamentos e programas de computador. Para se ter uma ideia, em 2015 publicamos matéria intitulada EXCLUSIVO: SEDUC de Geraldo "erra" nas contas e compra 52 mil licenças pra apenas 16 mil tablets).


Ali destacamos que "Em mais uma Inexigibilidade de Licitação multimilionária, o prefeito Geraldo Júlio, do PSB do Recife decide adquirir nada menos que 56.100 licenças para uso de um software educacional, o APRIMORA. O problema, porém, é que os assessores do prefeito não estão conseguindo justificar de onde tiraram tais valores, uma vez que, conforme amplamente divulgado pela própria Prefeitura, o número de tablets adquiridos pela gestão, a serem distribuídos entre os alunos da Rede Municipal de Ensino é de apenas 16 mil unidades."


Em vez de tomar providências, por mais incrível que possa parecer, uma decisão da justiça pernambucana chegou a censurar nosso Blog, para que o povo não fique cientes dos malfeitos dessa gestão nada transparente.

Na mesma matéria, destacamos que "Ainda que se somassem os 5 mil notebooks ultrafinos que o prefeito prometeu distribuir aos professores da Rede, em promessa jamais cumprida, conforme comprovam dados do Portal de Compras da própria prefeitura do Recife, onde se confirma que a licitação para a aquisição dos notebooks para os professores foi cancelada por "deserção", nem assim se chegaria perto da quantidade de licenças adquiridas por Geraldo Júlio à empresa GM Quality, representante da Positivo e que vendeu o Aplicativo APRIMORA por nada menos que R$ 11.220.00,00, à Secretaria de Educação de Geraldo Júlio. Ocorre que a simples leitura da justificativa de preço assinada pelo secretário Rogério Morais deixa claro que das 56.100 licenças, 52 mil seriam destinadas aos tablets dos alunos (que são apenas 16mil, repita-se) ao passo que para os computadores jamais adquiridos para os processores, foram compradas 4.100 licenças."


Nossas denúncias sobre os contratos mal assombrados de Geraldo Júlio com empresas de tecnologia da informação ganharam repercussão nacional a ponto de serem reproduzidas no Portal GGN, do Jornalista Luiz Nassif, conforme se pode conferir em As suspeitas nos contratos da educação do Recife, por Noelia Brito.


Os fatos acima relembrados são do conhecimento oficial tanto do TCE quanto do MPPE, entretanto, até hoje, data em que um aluno da rede municipal foi flagrado precisando usar tablets de lojas em shoppings para fazer sua tarefa, não se tem notícias de quaisquer providências desses órgãos contra tamanha incongruência: como explicar milhões gastos com tablets e programas e outros milhões para divulgar a fictícia excelência da educação no Recife por causa dos estratosféricos gastos com tecnologia da informação e um aluno da rede pública do Recife precisar usar equipamentos de lojas para estudar.


Saiba mais
https://www.google.com/amp/s/g1.globo.com/google/amp/pe/pernambuco/noticia/2019/11/11/sem-computador-ou-internet-em-casa-menino-usa-tablet-de-loja-de-shopping-para-fazer-trabalho-escolar-veja-video.ghtml

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

"Jovem deputado foi nutrido na mamadeira da Odebrecht", responde Antonio Campos ao sobrinho João Campos após ser chamado de "mau sujeito" em audiência da Câmara

Remuneração a juíza do TJ-PE chega a mais de R$ 1 milhão em novembro, revela a Folha de São Paulo

Paulo Câmara liberou R$ 60 milhões para pagar férias indenizadas no TJPE beneficiando a própria mulher que é juíza. Para os demais servidores, aumento na alíquota da Previdência. Manobra foi revelada pela Folha de São Paulo