Empresa de lixo hospitalar investigada pela PF por pagamento de propinas e lavagem de dinheiro ganhou contratos sem licitação na Prefeitura do Recife. Parentes do presidente da empresa doaram para a campanha de Geraldo Julio



Matéria veiculada, ontem, pela Rede Globo Nordeste e reproduzida pelo G1 (acesse PF investiga empresa de coleta lixo hospitalar por suspeita de lavagem de dinheiro e distribuição de propinas) revelou que um ex-funcionário da empresa multinacional Stericycle, responsável pela coleta e tratamento do lixo hospitalar para o Governo do Estado de Pernambuco e para 142 prefeituras pernambucanas estaria sob investigação da Polícia Federal por suspeitas de pagamentos de propinas a piliticos e por lavagem de dinheiro.

De acordo com as declarações do ex-funcionário, cuja identidade não foi revelada, e divulgadas pela Rede Globo, ele teria presenciado o pagamento de propinas a políticos ou a intermediários destes, durante as eleições de 2012 e 2014, dentro da sala do empresário Alexandre Meneleu, diretor da empresa: "O que eu tenha presenciado nas eleições de 2012, 2014, eram feitas [as propinas] dentro da sala do Alexandre Menelau, no escritório em Boa Viagem, próximo da [Rua] Barão de Souza, que ainda hoje é a sede da empresa aqui no Recife. E eram feitas através de dinheiro, em caixa de sapato. E eles saíam com esse dinheiro de dentro da empresa. Às vezes, [ia] um intermediário e às vezes o próprio político lá, como eu algumas vezes presenciei", afirmou o homem à Rede Globo.

Ainda segundo a matéria, em nove anos, a empresa recebeu, do governo do Estado de Pernambuco, R$ 53 milhões. Além dos contratos com o governo estadual, a Stericycle também presta serviço às unidades de saúde de 142 dos 184 municípios pernambucanos. Segundo o TCE-PE, a empresa recebeu 2.407 pagamentos, o equivalente a R$ 29 milhões. Somando o que foi pago à Stericycle pelo governo do estado e prefeituras, a empresa recebeu, nos últimos nove anos, R$ 82 milhões.

O denunciante ainda revelou que o propinoduto do lixo hospitalar a políticos teria sido denunciado ao Ministério Público Estadual e à Polícia Civil de Pernambuco, bem como ao COAF. Ouvido, o MPPE respondeu que encaminhou a denúncia à Polícia Federal, por ter observado que os supostos crimes estariam sendo também cometidos em outros Estados da Federação, onde a empresa também mantém contratos. Já a Polícia Federal e o Ministério Público Federal se negaram a dar qualquer esclarecimento sobre o andamento das investigações sob o argumento de que estariam sob sigilo.

O que a reportagem da Rede Globo não contou foi que o ingresso da Stericycle no mercado milionário do lixo hospitalar brasileiro, deu-se após a aquisição de uma outra empresa, a pernambucana Serquip - Tratamento de Resíduos Sólidos Ltda., fundada em 1999 e tendo como sócios, os empresários ANTONIO CARLOS FERREIRA VIEIRA DA CUNHA (Sócio-Administrador), OSVALDO SATURNINO CAMPILLO (Sócio-Administrador), CELSO JOSE CAMPOS DE MORAIS (Sócio-Administrador), ALEXANDRE LUNA MENELAU (Sócio-Administrador) e ARTUR LUIZ DA SILVA DUARTE (Sócio-Administrador)

A aquisição da Serquip pela Stericycle foi tema de uma matéria do jornalista Luiz Nassif (Leia em O mercado do lixo hospitalar), de 2011. Segundo a matéria do Portal GGN, de "acordo com dados da Associação Brasileira de Tratamento de Resíduos (Abetre), o mercado de resíduos teve receita estimada em R$ 1,5 bilhão em 2009, um crescimento de 14% em relação a 2008. Um mercado atrativo que tem chamado atenção de grupos internacionais. Esse é o caso da Serquip. Fundada em 1999, em Recife (PE), a empresa, presente em 11 estados no Brasil, chamou atenção da gigante americana Stericycle, com atuação, entre outros países, nos Estados Unidos, Argentina, Chile, Irlanda, Portugal, Romênia e Inglaterra e o resultado foi a compra de 70% das ações da empresa pela multinacional."


Ainda segundo a matéria, com "a aquisição, a Serquip começou a operar como braço internacional da companhia no Brasil e pretende adotar a marca da Stericycle ainda este ano." O ano, em questão, em que a Serquip adotaria a marca da Stericycle, era o de 2011. Quem falou ao GGN, na ocasião, foi o presidente da Serquip, Alexandre Menelau, que é justamente o dono da sala dentro da sede da Stericycle, apontada pelo ex-funcionário daquela empresa, onde seriam pagas as supostas propinas a políticos, que estariam sob investigação da Polícia Federal.

O interessante é que a mesma matéria aponta que a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) já contava naquele ano de 2011, com cerca de 50 empresas associadas à entidade e deste grupo, cerca de 10 trabalham exclusivamente com lixo hospitalar. No entanto, quase todas as licitações em Pernambuco foram vencidas pela Stericycle, que comprou 70% das ações da empresa de Meneleu e nomeou o empresário como seu presidente no Brasil. Apesar da existência de várias empresas do ramo, Prefeituras como a do Recife, por exemplo, sequer se deram ao trabalho de realizar licitações para contratar a Stericycle, preferindo lançar mão de Dispensas de Licitações, como demonstraremos mais à frente.

O que a matéria da Rede Globo também não conta é que em 2012, ano eleitoral em que propinas teriam sido pagas, segundo o ex-funcionário da Stericycle contou à Rede Globo, a políticos e intermediários destes, com a repetição dessa prática nas eleições de 2014, na prestação de contas de campanha do atual prefeito do Recife e cacique do PSB pernambucano, Geraldo Júlio, aparecem como doadores um irmão de Alexandre Menelau e a esposa deste. As doações, que totalizaram, naquele ano de 2012, R$ 33.750,00, podem ser conferidas AQUI:

KARIN JACKEL MENELAU 352.209.454-91 02/08/12 0004025313PE000011 20.250,00 Transferência eletrônica 368003 GERALDO JULIO DE MELLO FILHO 40 PSB Prefeito PE - RECIFE
ROBERTO LUNA MENELAU 168.158.584-72 01/08/12 0004025313PE000006 13.500,00 Transferência eletrônica 1630407012 GERALDO JULIO DE MELLO FILHO 40 PSB Prefeito PE - RECIFE



Apesar de serem feitas por pessoas físicas ligadas ao presidente da Serquip/Stericycle, por laços familiares, a soma dessas duas doações supera as doações feitas por empresas ao então candidato Geraldo Júlio.



É claro que aqui não se está insinuando que as generosas doações dos familiares do presidente da Stericycle à campanha do prefeito Geraldo Julio sejam fruto de propina. É provável que as contratações futuras da empresa de Menelau pela gestão Geraldo Julio, todas com Dispensas de Licitação, sejam apenas coincidências ou, quiçá, decorram de alguma proximidade entre a antiga empresa de Menelau, a Serquip, com o PSB, já que aquela, por outra ironia do acaso, situava-se, coincidentemente, na mesma rua de situação da sede do PSB de Pernambuco, qual seja, na Rua Geraldo de Andrade. O PSB é o Partido que comanda o governo do Estado de Pernambuco e a Prefeitura do Recife.

Com a Prefeitura do Recife, localizamos os seguintes contratos firmados com a Stericycle, que aparece no Portal Tome Conta do TCE/PE, com 6 CNPJs, de modo que é necessário que se confira todos os contratos com cada um desses CNPJs.



Com o CNPJ  01.568.077/0001-25,  - STERICYCLE GESTAO AMBIENTAL LTDA assinou um contrato de R$ 320 mil reais com a gestão Geraldo Julio. Já com o CNPJ 01.568.077/0002-06, a mesma empresa assinou outro contrato no valor de R$ 894 mil.

CNPJ  01.568.077/0001-25,  - STERICYCLE GESTAO AMBIENTAL LTDA










MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos