Governo de Pernambuco pagou mais de R$ 48 milhões a empresa acusada de pagar até 30% de propina ao ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho, também do PSB. Propina era transportada em aviões fretados. Empresa também doou ao PSB, ao PSDB e ao PROS



Consulta ao Portal Tome Conta do TCE/PE aponta para pagamentos de pelo menos da R$ 48.320.523,00, pelo Estado de Pernambuco, à empresa Brink Mobil, cujo sócio, Waldemar Àbila, foi um dos alvos da Operação Calvário, deflagrada hoje pela PF, pelo MPF e pelo Gaeco do MPPB, na Paraíba e em outros Estados e que resultou na expedição de mandado de prisão preventiva contra o ex-governador daquele Estado, Ricardo Coutinho, do PSB, por liderar uma organização criminosa que teria recebido mais de R$ 120 milhões em propinas oriundas de contratos superfaturados e fraudulentos nas áreas de saúde e educação.

De acordo com a decisão de 206 páginas que mandou prender o ex-governador, que continua foragido, vários secretários, o ex-procurador geral do Estado, deputados e prefeitos do PSB da Paraíba, o dono da Brink Mobil teria realizado pagamentos de propina ao governador e a outros integrantes do governo em percentuais que variavam entre 5% e 30%. Para operacionalizar os pagamentos de propinas, representantes da organização criminosa seguiam para Curitiba em aviões fretados pela empresa e lá recebiam os valores ilícitos em espécie. O esquema foi delatado por cúmplices de Coutinho.








O Tome Conta também registra doações da Brink Mobil a Partidos, entre eles o PSB:



MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos