Lauro Jardim: Glenn não pagou pelas mensagens que desmascararam esquemas de lavajaterios, afirma delator



Lauro Jardim, da Veja, conta que a delação premiada, e agora homologada, de Luiz Henrique Molição, que integrava o grupo que invadiu os celulares de várias autoridades, entre elas, Jair Bolsonaro, Sergio Moro, Deltan Dallagnol e mais mil pessoas, inocentou Glenn Greenwald, o dono do The Intercept.

Molição, diz Jardim, que participou da negociação com Greenwald para a entrega do conteúdo hackeado, garantiu que o americano não pagou pelo material — assim como também não o encomendou.

Ele contou que tentaram vendê-lo para Manuela D”Ávila. A ex-deputada recusou-se a pagar, mas disse que poderia indicar um jornalista que publicaria as trocas de mensagens hackeadas. E assim chegaram a Greenwald.

Walter Delgatti, o hacker ainda preso, já dissera em depoimento à PF que o The Intercept não desembolsara qualquer quantia pelo material.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ

Direita já se organiza para derrubar Bolsonaro, o louco. Frota protocola impeachment e Janaina decreta: "esse senhor tem que sair"