Lauro Jardim: Glenn não pagou pelas mensagens que desmascararam esquemas de lavajaterios, afirma delator



Lauro Jardim, da Veja, conta que a delação premiada, e agora homologada, de Luiz Henrique Molição, que integrava o grupo que invadiu os celulares de várias autoridades, entre elas, Jair Bolsonaro, Sergio Moro, Deltan Dallagnol e mais mil pessoas, inocentou Glenn Greenwald, o dono do The Intercept.

Molição, diz Jardim, que participou da negociação com Greenwald para a entrega do conteúdo hackeado, garantiu que o americano não pagou pelo material — assim como também não o encomendou.

Ele contou que tentaram vendê-lo para Manuela D”Ávila. A ex-deputada recusou-se a pagar, mas disse que poderia indicar um jornalista que publicaria as trocas de mensagens hackeadas. E assim chegaram a Greenwald.

Walter Delgatti, o hacker ainda preso, já dissera em depoimento à PF que o The Intercept não desembolsara qualquer quantia pelo material.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos