Paciente com câncer internado no Hospital Militar precisa acionar a Justiça para que o Estado de Pernambuco libere uma simples colonoscopia. Deputados governistas do PSB, PT e PC do B ainda votaram contra audiência pública para debater o problema. PSOL votou a favor

João Paulo, do PC do B e Teresa Leitão, do PT, obedecem Isaltino Nascimento, líder do governo Paulo Câmara e votam contra audiência pública para discutir falta de atendimento a pacientes do Sistema de Saúde dos Militares de Pernambuco. Mandato Coletivo Juntas votou a favor dos pacientes.

Um policial militar aposentado que está internado com suspeita de câncer no Hospital da Polícia Militar foi obrigado a acionar o Poder Judiciário para que o Sismepe - Sistema de Saúde dos Militares de Pernambuco, para o qual o servidor contribui todos os meses, independentemente de utilizar os serviços e o Hospital da Polícia Militar de Pernambuco autorizassem a realização de uma simples colonoscopia.

A decisão mandando que o exame fosse realizado foi proferida no dia 7 de novembro e somente no dia 26 de novembro o SISMEPE liberou o exame.

Nosso Blog ainda recebeu denúncias de que este mesmo paciente foi obrigado a acionar a justiça para que o SISMEPE autorizasse uma cirurgia de catarata, mesmo ciente de que o paciente estava quase perdendo totalmente a sua visão.

Diante da enxurrada de denúncias de que embora os policiais militares venham descontando religiosamente os pagamentos para o SISMEPE este tem se negado a autorizar exames e procedimentos cirúrgicos com o pífio argumento de falta de recursos, uma Audiência Pública foi convocada pela ALEPE e lamentavelmente, deputados da base governista como João Paulo, do PC do B e Teresa Leitão, do PT, obedecendo a ordem de Isaltino Nascimento, do PSB e líder do governo, votaram contra a audiência pública, conforme mostra o vídeo da sessão, disponível no YouTube, e que pode ser conferido aos 59 minutos e 27 segundos do link da Sessão: https://youtu.be/Clir4d24d0w

em que ambos se posicionaram de pé, posição tomada por todos que votaram contra a audiência pública. Já a deputada Jô Cavalcanti, que representa o mandato coletivo Juntas, votou a favor da audiência pública.

Leiam a íntegra da decisão.


AV MARECHAL MASCARENHAS DE MORAIS, 1919, - de 1683 a 2685 - lado ímpar, IMBIRIBEIRA, RECIFE - PE - CEP: 51150-001 - F:(81) 31831620
Processo nº 0055133-53.2019.8.17.8201
DEMANDANTE: (OMITIDO PARA PRESERVAR A INTIMIDADE DO PACIENTE)

DEMANDADO: ESTADO DE PERNAMBUCO, CENTRO HOSPITALAR DA POLICIA MILITAR DE PERNAMBUCO
 


DECISÃO



Como se observa da inicial, pretende a autora obter provimento judicial a fim de compelir o SISMEPE a autorizar e realizar um exame de colonoscopia para diagnóstico de câncer. Narra que requereu administrativamente, recebendo a informação que aguardasse a marcação, pois não havia vaga disponível no momento. Considerando a urgência do exame e possível tratamento, roga pela concessão de tutela de urgência para imediata realização do exame.

Da análise dos autos, verificam-se a existência de prescrição médica estabelecendo a urgência para realização do procedimento médicos elencado, especialmente, por se tratar da gravidade da enfermidade, a qual pode gerar iminente risco de vida se não tratada adequadamente e com rapidez.

Portanto, evidenciado o direito da autora à efetiva prestação do serviço pretendido e a responsabilidade da demanda em prestá-lo de forma eficiente, tanto mais por se tratar de entidade de Direito Público, que se obriga a manter a saúde de seus administrados. Devendo, por conseguinte, providenciar a realização do exame.

Dessa forma, não consigo vislumbrar óbice justificável à autorização por parte do plano de saúde demandado para realização do procedimento requisitado, até porque há expressa determinação médica quanto a sua necessidade e urgência para tratamento da autora e guardam total correlação com a enfermidade enfrentada.

Demonstrado o direito autoral, bem como a urgência na concessão da medida, em virtude do iminente risco de vida pelo comprometimento do tratamento, decido DEFERIR O PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA para determinar que o Estado de Pernambuco, através do Comando da Polícia Militar de Pernambuco e do SISMEPE, no prazo de 05 dias, expeça as necessárias autorizações para a realização do exame de colonoscopia em favor do autor, nos exatos termos da prescrição médica.


Por fim, caso não haja o cumprimento desta decisão importará em bloqueio de verba pública necessária, a fim de que se cumpra a tutela jurisdicional nos moldes dantes deferidos (STJ. 1ª Seção. REsp 1.069.810-RS, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia Filho, julgado em 23/10/2013).



Intimem-se as partes da presente decisão.


Tendo em vista as diretrizes dos princípios da celeridade e da economia processuais norteadores da lei 9.099/95, reconheço que o objeto da presente demanda dispensa a produção de prova oral ou maiores dilações probatórias, e via de consequência torna desnecessária a realização de audiência Una.

Consubstanciado nesse entendimento, entendo pelo cancelamento da audiência designada e ainda, determino:


1)     Intime-se a parte autora/demandante para, no prazo de 15 (quinze) dias, apresentar os documentos que entender necessário para fins de comprovação do seu pleito inicial.

2)     Ultrapassado o prazo do item 1, intime-se o demandado para, no prazo de 10 (dez) dias, informar se há possibilidade de conciliação e, concomitantemente, cite-se para em 30 (trinta) dias, querendo, apresentar sua contestação ao requerido na petição inicial/queixa, e, em ato contínuo, suas impugnações aos documentos apresentados pelo autor.

3)      Após o prazo para apresentação de defesa, em caso de existência de preliminares ou prejudicial de mérito e documentos, deverá a parte demandante ser intimada para se pronunciar no prazo de 15 (quinze) dias.

Cumpridos todos os itens acima e confirmada à impossibilidade de composição, façam-se os autos conclusos para a prolação de sentença com a posterior intimação das partes. 



RECIFE, 07 de novembro de 2019



RAIMUNDO NONATO DE SOUZA BRAID FILHO

Juiz(a) de Direito

MAIS VISITADAS DO MÊS

PF flagrou 114 contatos telefônicos entre desembargadora afastada e traficante de drogas e assaltante de carro-forte

STF afasta Conselheiro do TCM-BA por propina de R$ 25 milhões exigida quando era ministro das Cidades

"Jovem deputado foi nutrido na mamadeira da Odebrecht", responde Antonio Campos ao sobrinho João Campos após ser chamado de "mau sujeito" em audiência da Câmara

Remuneração a juíza do TJ-PE chega a mais de R$ 1 milhão em novembro, revela a Folha de São Paulo

Paulo Câmara liberou R$ 60 milhões para pagar férias indenizadas no TJPE beneficiando a própria mulher que é juíza. Para os demais servidores, aumento na alíquota da Previdência. Manobra foi revelada pela Folha de São Paulo