Pais de estudantes veem irregularidades em concurso para Escola de Aplicação da UPE e prometem acionar MPPE e Justiça



Alguns incidentes ocorridos durante a aplicação das provas para admissão ao Colégio de Aplicação do Recife, da Universidade de Pernambuco, fizeram com que pais de alunos que se submeteram à seleção ocorrida no último dia 24 de novembro questionassem a lisura do processo seletivo.


De acordo com pais de alunos ouvidos pelo Blog e que prometem acionar a Promotoria de Defesa da Educação do MPPE e até o Poder Judiciário para evitar que seus filhos sejam prejudicados, em algumas salas, em vez de apenas um gabarito, alguns alunos receberam dois gabaritos para preenchimento. Em outras salas, os gabaritos só teriam sido entregues aos alunos depois das 12 horas, horário previsto para o término das provas, quando muitos alunos já haviam encerrado suas provas e permaneciam conversando livremente dentro das salas, enquanto esperavam os gabaritos.


Os pais reportaram ainda que os nomes dos alunos teriam sido preenchidos, em alguns gabaritos, pelos próprios fiscais de sala, possibilitando, assim, a identificação das provas. Os responsáveis pelos alunos afirmam que o conjunto das irregularidades detectadas põem em dúvida a transparência do certame e por isso pedirão ao MPPE e à Justiça a anulação da prova.


Com a palavra o Colégio de Aplicação do Recife e a UPE.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Justiça recebe denúncia contra tenente coronel da PMPE acusado de assediar sexualmente 4 subordinadas policiais militares

Empresário é executado com tiro na cabeça, no Recife e Polícia mantém seu nome sob sigilo. Vítima seria irmão de autoridade do Poder Judiciário. Crimes de mando têm sido frequentes em Pernambuco

Roberto Viana e o Game of Thrones de Pernambuco

Antônio Campos cumpriu o que disse à Época e depôs hoje, no MPF, como testemunha em inquérito sigiloso envolvendo caciques do PSB. Vejam a nota

Indústria de multas de Geraldo Júlio arrecadou R$ 230 milhões em apenas 4 anos enquanto gastos com educação no trânsito não chegam a R$ 550 mil