Áudio mostra deputado federal negociando propina e gargalhando. Apesar dos flagrantes, colegas parlamentares defendem retorno de Wilson Santiago ao Congresso



Em conversa gravada pelo delator George Ramalho Barbosa, empresário que relatou pagamentos de propina ao deputado federal da Paraíba, Wilson Santiago, do PTB, afastado do cargo por ordem do ministro Celso de Mello, do STF, o deputado aparece gargalhando e debochando da própria corrupção, no que a Policia Federal classificou de "inequívoca demonstração de naturalidade no manejo de recursos públicos desviados a título de propina".

Deputados decisem hoje se permitem o retorno do colega flagrado negociando propina para si e para terceiros ao Parlamento.

Assessores de Wilson Santiago foram flagrados em ação controlada da PF recebendo propina em dinheiro que seria destinado ao Parlamentar.

"Wilson Santiago, ainda, tenta passar a George a impressão de que ele (Wilson) seria uma espécie de intermediário da propina, a qual seria destinada a pessoas de Brasília, reclamando de que estaria 'se arriscando à toa', e que o dinheiro já deveria ter sido recebido desde dezembro, 'e os caba achando que tava tendo enrolação'. Por fim, após George dizer que uma terceira pessoa teria informado que Wilson Santiago não teria repassado sequer um centavo da propina que lhe fora destinada, o parlamentar responde: 'Tá bom, deixa ele dizer', emendando em seguida, aos risos: 'Tu acha que resolve essas coisas sem dar nada a ninguém?', numa inequívoca demonstração de naturalidade no manejo de recursos públicos desviados a título de propina: "

Ouçam o áudio:




MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia