Empresário é executado com tiro na cabeça, no Recife e Polícia mantém seu nome sob sigilo. Vítima seria irmão de autoridade do Poder Judiciário. Crimes de mando têm sido frequentes em Pernambuco

Empresário chegou a ser socorrido pela Polícia Militar e  pelos guardas municipais que fazem a segurança do Geraldo, mas não resistiu ao ferimento na cabeça vindo a falecer na UPA da Imbiribeira



Um empresário cuja identidade é mantida em sigilo pela Polícia Civil, identificado apenas como Rodrigo, no Boletim de Ocorrência, morreu durante atendimento na UPA da Imbiribeira, após receber um tiro na cabeça, na madrugada da última sexta-feira, 21, dentro do próprio veículo, uma caminhonete Hylux , Placas HYS 0101.

No Boletim de Ocorrência, a autoridade policial narra que guardas municipais que faziam a segurança do Ginásio Geraldão, na Imbiribeira, escutaram um barulho e ao verificarem a origem, encontratam o empresário baleado na cabeça, dentro do veículo abalroado em uma das grades do Ginásio, acionando, em seguida, a Polícia Militar, que prestou socorro à vitima que, atendida na UPA da Imbiribeira, não resistiu ao ferimento e veio a óbito.

A 1a Equipe da Força Tarefa de Homicídios, comandada pelo delegado de Policia Sergio Ricardo, foi quem registrou a ocorrência. A perícia recolheu no veículo a quantia de 5.950 reais, um celular da marca Iphone e documentos, que foram entregues à autoridade policial.


Consultada pela editoria deste Blog, sobre a confirmação da identidade da vitima, que segundo o trecho do BO acima, foi identificada ainda na UPA, a Policia Civil de Pernambuco emitiu a seguinte nota, onde nem confirma nem nega as informações apuradas por nossa Editoria, sobre a identidade da vítima, que é mantida sob sigilo e que, segundo apuramos, atuava no ramo de transportes de cargas e que seria irmão de uma autoridade do Poder Judiciário responsável pela condução de processos criminais de corrupção e crimes tributários contra autoridades, políticos e empresários.

"Seguem as informações que temos no momento. Não possuímos imagens e outras informações não podem ser divulgadas para que não haja prejuízo das investigações. Cordialmente,  NOTA PCPE A Polícia Civil de Pernambuco está investigando o homicídio de um homem, de 43 anos, registrado na noite da última sexta-feira (21), no bairro da Imbiribeira. De acordo com informações preliminares, um veículo do tipo picape  chocou-se contra a grade de proteção do Geraldão e , quando os guardas municipais saíram para ver o que tinha ocorrido, encontram um homem com ferimento realizado por arma de fogo na cabeça . O homem foi conduzido para a UPA da Imbiribeira, mas não resistiu ao ferimento. O caso segue sob investigação da 3a Delegacia de Homicídios".

Fontes do Blog informaram que policiais federais teriam se dirigido ao local do crime. Consultada, a assessoria da PF informou que a instituição não investigava o caso e que as investigações estariam a cargo da Policia Civil, que, por sua vez, informou que o crime está sendo investigado pela 3a Delegacia de Polícia de Homicídios.

Especialistas da área de segurança ouvidos pelo Blog afirmam que o crime tem características de execução, seja pelo tiro na cabeca, seja porque os executores não subtraíram os pertences da vítima.

Em Pernambuco, ultimamente, têm sido registrados, em quantidade incomum, crimes de mando. Recentemente, um secretário municioal e um vice-prefeito foram vitimas desse tipo de crime hediondo.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Aliado de Arthur Lira, do Centrão, Marinaldo Rosendo é alvo de Operação da PF por desvios de recursos do SUS durante sua primeira gestão na Prefeitura de Timbaúba

Após dia de polêmica, Marília Arraes solta nota rebatendo acusações de traição, golpismo e aliança com a direita que lhe foram imputadas por colegas do PT

Lideranças e ex-presidentes defendem reeleição do Bruno Baptista à presidência da OAB/PE

Diretoria Antimáfia Italiana e Polícia Federal em Pernambuco prendem Italiano apontado como líder de rede de traficantes internacionais de drogas. O estrangeiro morava em Aldeia, na cidade pernambucana de Camaragibe

Priscila Krause afirma que João Campos manteve equipe administrativa da Secretaria de Saúde, alvo de sete operações da PF: “de fato ele confia na equipe”