Inquérito que investiga supostos crimes de caciques do PSB foi instaurado em 2018, pelo MPF, revela pedido de proteção encaminhado por Antônio Campos a Sergio Moro



Apesar do sigilo em torno do caso, é possível constatar que as investigações sobre possíveis práticas criminosas envolvendo caciques do PSB, em Pernambuco, tramitam pelo menos desde 2018, no Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal, em Pernambuco.

O número do Procedimento Investigatório Criminal no qual o advogado e presidente da Fundaj, Antônio Campos, foi chamado a depor como testemunha, aparece no e-mail e na representação que o irmão de Eduardo Campos encaminhou ao Ministro da Justiça, Sérgio Moro, pedindo proteção em razão de ameaças que viria sofrendo após depor no mencionado inquérito criminal que tem o número  (PIC 1.26.000.002022/2018-80).

Os advogados de Antônio Campos estão neste momento a caminho da Polícia Federal para ali também protocolar representação reportanto as ameaças.






MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos