PF deflagra operação contra doleiros pernambucanos que lavam dinheiro no exterior usando empresas de água mineral



A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (27/02) uma ação policial denominada “Operação Aqua”, que apura suspeita de atividade clandestina em operações de câmbio, evasão de divisas ao exterior, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Segundo os dados obtidos pela Polícia Federal até então, os investigados atuam há vários anos como “doleiros” na capital pernambucana. A maior parte dos dados que constam no inquérito instaurado foi alcançada através de cooperação internacional com os Estados Unidos da América. O nome da operação decorre de alusão a empresas de distribuição de água mineral pertencentes a indivíduos sob investigação, em nome das quais teriam sido abertas contas bancárias para realização de movimentações financeiras ilícitas.

Estão sendo cumpridos quatro (4) mandados de Busca e Apreensão expedidos pela Justiça Federal em Recife, destinados a endereços de pessoas e empresas, nos bairros do Pina e Ibura, em Recife, além de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes.

Nas buscas foram apreendidos celulares, notebook e vasta documentação que irá passar por uma perícia técnica a fim de subsidiar as investigações que estão em andamento.

Se condenados por todos os crimes investigados, os suspeitos podem cumprir penas de até 24 anos de reclusão.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PFPE que não divulgou os nomes dos investigados.

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos