Bolsonarista Clarissa Tércio desmascara, sem querer, fake news bolsonarista que inventou que borracheiro morreu de acidente. Entenda o caso e não espalhe fake news. Respeite a vida!



A deputada Clarissa Tércio, que é da bancada fundamentalista da Assembleia Legislativa de Pernambuco e bolsonarista de carteirinha, na tentativa de dar legitimidade a uma fake news de seus colegas bolsonaristas, que irresponsável e criminosamente espalharam, nas redes sociais, que um borracheiro,  o Sr. Reginaldo Jacinto da Silva, cuja Certidão de Óbito apresentava morte por covid 19, teria morrido de um acidente e que a certidão teria sido falsificada pelo governo de Pernambuco, acabou, sem querer, desmascarando a fake news de seus correligionários bolsonaristas.

A deputada gravou um vídeo na residência da família do borracheiro e lá exibiu a Certidão original, onde, de fato, consta que o óbito teria como causa, síndrome respiratória aguda grave, causada por covid 19. 

Ocorre que de acordo com a secretatia de Saúde, os exames concluíram que o paciente não morrera de covid 19, mas de influenza. A médica que cuidou do paciente no Hospital Maria Lucinda atestou a motivação do óbito com base nos sintomas e na suspeita de covid 19, mas, segundo nos informou a secretaria de saúde, em contato telefônico, somente óbitos confirmados mediante teste positivo são contabilizados para covid 19, razão pela qual, esse óbito sequer entrou para as estatísticas de Covid 19, mas de Influenza.

Esse não é um caso isolado, nosso Blog tem recebido atestados de óbito apontando covid como causa. Diante da confusão ocasionada por esse procedimento, já que fica a pairar no ar dúvidas sobre os reais índices dessas doenças no Estado, a SES recomendou, desde a semana passada, que não fossem mais emitidos atestados somente com base nos sintomas e suspeitas, mas de posse do resultado dos exames laboraroriais. Se foi preciso que a SES expedisse essa Recomendação, é possível concluir que até então, atestados baseados em suspeita e sintomas eram a praxe no Estado, não sendo possível acusar a médica de erro, mas o próprio sistema que funcionava dessa maneira. É preciso que a SES seja de fato transparente e esclareça esses detalhes para a população, evitando-se, assim, a propagação de fake news como a que foi gerada  por esse caso do borracheiro, que está sendo criminosamente explorado por bolsoanristas para espalhar a falsa ideia de que ninguém está doente ou morrendo de covid 19, seguindo a mesma linha criminosa do presidente que eles apoiam.

Voltando ao video da deputada Clarissa Tércio, longe de confirmar a ridícula teoria da conspiração criada por bolsonaristas de que o borracheiro Sr. Reginaldo Jacinto da Silva havia morrido de um acidente de trabalho, pela explosão de um pneu, e tudo urdido, segundo eles, pelo governo para criar falsos números de mortes que eles alegam inexistentes, o que a deputada conseguiu provar foi que essa estória não passa de uma farsa criada pelos apoiadores de Bolsonaro, os mesmos do "kit gay" e da "mamadeira de piroca", para tirar proveito político de uma catástrofe.



Primero, temos que destacar que mesmo com a Certidão atestando morte por Covid 19, esse óbito não entrou para as estatísticas da SES, como morte pela pandemia, pelos motivos já expostos, de modo que foge a qualquer lógica, a ideia dos bolsonaristas de que o governo mandou a médica ou o hospital falsificar a motivação da morte para inflar números.

Ora, o que há em Pernambuco é subnotificação de casos e de óbitos, pelo simples fato de que a SES realiza pouquíssimos testes. Acreditamos que a falta de testes  não tenha nada a ver com má-fé. Parece-nos ser pura incompetência gerencial da crise. O Estado não faz os testes porque não os tem. Então testa muito pouco. Para se ter uma ideia, o Ceará já fez 4400 testes. Enquanto o Ceará fazia 300 testes por dia, Pernambuco só testava 100 pessoas. Não sabemos quantos testes foram feitos até agora no Estado, pois pedimos essa informação à SES e até o momento não fomos informados. Se há algum problema com os números em Pernambuco, repetimos, é decorrente da baixa testagem, que gera subnotificação, muito diferente das sandices alardeadas por bolsonaristas que parecem a cada dia mais tresloucados, tal qual seu presidente, que sai por aí contaminando as pessoas. No entorno de Bolsonaro já são em torno de 25 a pessoas infectadas, uma das quais, um policial militar que fazia sua segurança e que está na UTI, em estado grave.

Em segundo lugar, a própria família do paciente revelou à deputada que o acidente ocorreu muito antes da vítima ter se ínternado para tratar da pneumonia que o matou. Aliás, é importante dizer que o acidente com um pneu ocorreu em janeiro. A família conta que o borracheiro se acidentou, foi ao hospital, foi tratado e só depois veio a apresentar sintomas de problemas respiratórios, que os testes vieram agora apontar como causados pelo vírus da influenza, que é uma espécie de gripe e foi esse problema que levou o Sr. Reginaldo Jacinto da Silva a óbito e não o acidente, este bem anterior à última internação, no Maria Lucinda, como querem fazer crer os bolsonaristas, para impor sua tese genocida, descartada em todo o mundo, de que se deve acabar com o isolamento.

É lamentável o uso político dessa tragédia pessoal da família do Sr. Reginaldo Jacinto da Silva e da calamidade mundial por pessoas inexcrupulosas.

Cabe à polícia e ao Ministério Público agir e acabar de vez com a propagação dessas mentiras que se alastram em eacala muito superior ao próprio coronavírus.

Assistam o vídeo e desmintam a todos que insistirem com essa mentira. #fiquememcasa


MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos