Clã Cunha Lima volta a comandar a Sudene quase 30 anos após gestão de Cassio, que teria sido pivô de tentattiva de homicidio de seu pai contra ex-governador



Era novembro de 1993 quando o então governador da Paraíba, Ronaldo Cunha Lima, adentrou no Restaurante Gulliver, no bairro de Tambaú, em João Pessoa, e tentou matar, com três tiros, seu antecessor, Tarcísio Burity.

O motivo do crime teria sido vingança contra o adversário, que vinha criticando a gestão do hoje ex-senador Cassio Cunha Lima, à frente da Sudene. Numa entrevista dada pouco antes do atentado, Burity teria dado declarações contra Cassio, que é filho de Ronaldo, hoje já falecido.

Burity sobreviveu aos tiros,  mas conviveu com as consequências destes até 2003, quando morreu vítima de falência múltipla dos órgãos.

Consta ainda, que Ronaldo Cunha Lima atribuía a Tarcísio Butity, a origem das denúncias que um padre radialista, conhecido na Paraíba como Padre Albeny, andava fazendo contra a gestão de Cassio na Sudene.

Passados quase 30 anos do episódio que ficou conhecido como Caso Gulliver, o clã Cunha Lima volta a comandar a SUDENE, com a indicação, pelo ex-senador Cassio Cunha Lima, do PSDB, do jovem advogado Evaldo Cavalcanti da Cruz Neto para a superintendência da entidade, outrora comandada pelo próprio Cassio e estopim da tentariva de homicídio do pai deste contra Burity.

A ascensão do poderio do clã Cunha Lima no governo Bolsonaro vem temperada com a derrubada do empresário Douglas Cintra, nomeado recentemente por indicação do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, do MDB. Chamou atenção o fato de que Douglas Cintra tenha sido exonerado do cargo sem aviso prévio e por meio de uma publicação em edição extraordinária do Diário Oficial da União no mesmo dia em que o Congresso vota os vetos de Bolsonaro ao orçamento impositivo.

Evaldo Cavalcanti é genro de Cassio Cunha Lima, casado com a filha do ex-senador, Marcela Cunha Lima e é neto de um ex-prefeito de Campina Grande, cidade onde seu pai é um grande empresário do ramo da tecnologia da informação.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ

Direita já se organiza para derrubar Bolsonaro, o louco. Frota protocola impeachment e Janaina decreta: "esse senhor tem que sair"