Policiais Civis denunciam que governo de Pernambuco não fornece equipamentos de proteção e condições de higiene para categoria atender o público


Foto: Divulgação 

Quatro entidades que representam milhares de policiais civis em Pernambuco informam, nesta quarta (18), que o efetivo é vítima de omissão com relação às medidas anunciadas pelo Governo Estadual para conter a transmissão comunitária do coronavírus. O motivo é a falta de higiene nas Delegacias e o não fornecimento de máscaras, álcool gel, luvas e sabão necessários para atender o público e controlar a pandemia. Entre os servidores, há um grupo de risco formado por policiais civis maiores de 60 anos de idade, grávidas e portadores de doenças graves. De acordo com o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe), Bruno Bezerra, caso a situação não seja corrigida, a Vigilância Sanitária e a Delegacia do Trabalho poderão ser acionadas para solucionar a insalubridade nas unidades. Em comunicado dirigido aos peritos papiloscopitas, o presidente da Associação dos Peritos Papiloscopistas Policiais Civis de Pernambuco (Asppape), Carlos Eduardo Maia, afirma que “acompanhará diuturnamente todas as medidas publicadas” e enfatiza que “não economizará esforços havendo a necessidade de intervenção do Ministério Público ou demanda judicial.”

O presidente da Asppape também pede que o Governo “reveja suas medidas recentemente publicadas, atualmente na contramão daquelas estabelecidas pelo Governo Federal, Poder Judiciário de Pernambuco, Ministério Público de Pernambuco e muitas prefeituras no Estado de Pernambuco (Ex: Prefeitura da Cidade do Recife)”. O presidente da União dos Escrivães de Polícia de Pernambuco (Uneppe), Marcos Rodrigues, solicita a “suspensão de todos os procedimentos cartorários que não sejam de urgência. Ficando apenas os de flagrante delito”. O pedido de revisão das medidas de prevenção é reforçado pelo presidente da Associação dos Comissários de Polícia Civil de Pernambuco (ACOMP/PE), George Fernandes Ribeiro Neto.

Falta d’água em Delegacias

Segundo o presidente da Adeppe, a negligência do Governo Estadual “põe em risco os policiais e toda a população, uma vez que o vírus é altamente contagioso e muitas Delegacias não oferecem condições mínimas de higiene, sendo comum faltar água por até três dias”. “O Governo foi omisso em relação ao grupo de risco. Até o momento, não foram distribuídos álcool em gel, máscaras, luvas e sabão líquido. Como será possível adotar medidas de higiene se esses itens não foram oferecidos?”, questionou Bezerra.

Recomendações para grupo de risco

Com o objetivo de ajudar na prevenção e controle do coronavírus, a Adeppe emitiu uma série de recomendações para a categoria. As medidas abrangem, entre outros pontos, que delegadas e delegados maiores de 60 anos de idade, grávidas e portadores de doenças graves solicitem ao superior imediato dispensa ao trabalho e que lhe seja concedido o desempenho das funções em regime de home office.



Também foi recomendado que seja solicitado à gestão da Polícia Civil de Pernambuco o “imediato incremento de limpeza em todas as delegacias do Estado”, a “disponibilização de álcool em gel (70%), máscaras, luvas e sabão líquido”, e “a limitação de atendimento nas Delegacias a casos urgentes, a critério do delegado de Polícia”. A Adeppe informa que, todos os dias, as Delegacias de Polícia do Estado atendem milhares de pessoas, além dos milhares de policiais que trabalham em escalas ordinárias e de plantão no Estado. A Associação enfatiza que as medidas anunciadas até o momento pela gestão estadual são insuficientes para a contenção do vírus.

O Blog entrou em contato com a assessoria da Polícia Civil de Pernambuco, mas até o momento da publicação desta matéria não houve retorno.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Certidão de Óbito autenticada pelo TJPE atesta morte de morador de Prazeres, em Jaboatão, Pernambuco, por coronavírus, mas SES não o inclui nas estatísticas. Secretaria silencia sobre o caso

URGENTE! Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus. Denúncia é de policiais civis que trabalham no IML que não teriam equipamentos adequados para autópsia

Pacto Pela Morte: Delegados denunciam ordem do Governo Paulo Câmara que facilita prescrição de crimes, principalmente de homicídios, inclusive com ameaças de perseguições contra quem não aceitar prevaricar

Empresário que escapou de quarentena e levou covid-19 para sul da BA é filho de uma desembargadora do TJ/CE, ex-conselheira do CNJ

Direita já se organiza para derrubar Bolsonaro, o louco. Frota protocola impeachment e Janaina decreta: "esse senhor tem que sair"