Remédio para malária funciona mesmo para o tratamento do coronavírus? Ouça opinião de especialista


Estudos publicados nos últimos dias sugerem que algumas drogas já existentes podem ser promissoras no combate ao Covid-19. Chamados de cloroquina e hidroxicloroquina, os compostos até então utilizados no tratamento de diversas doenças, como malária, amebíase e artrite reumatoide, agora são vistas como possíveis candidatas para conter o novo coronavírus.

As drogas foram testadas em pacientes na China e na Coreia do Sul e ainda estão sendo analisadas por pesquisadores de diversos países.

Para esclarecer este assunto, a Dra. Ludhmila Hajjar, cardiologista especializada em Cardio Oncologia e coordenadora do grupo de Cardio-Oncologia do Instituto do Câncer e do Instituto do Coração, fez um vídeo comentando sobre o uso destas drogas no tratamento do Covid-19.

Assista ao vídeo:


Dra. Ludhmila Hajjar é coordenadora do grupo de Cardio-Oncologia do Instituto do Câncer e do Instituto do Coração, vice-coordenadora da Pós-Graduação da Cardiologia da FMUSP e coordenadora da residência em cardio-oncologia da FMUSP. Exerce atividades diversas de ensino e assistência, é porta-voz da Sociedade Brasileira de Cardiologia, além de ser reconhecida pesquisadora nacional e internacional.

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos