Mudança na direção da PF: entidades de delegados defendem autonomia para evitar ingerência política






Notas

A respeito da troca na diretoria-geral da Polícia Federal, a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Pernambuco (Adeppe) defende autonomia para as Polícias judiciárias, a fim de impedir interferências na gestão dessas instituições fundamentais para a sociedade. “Vemos que está mais do que na hora de as Polícias Civis e Federal terem autonomia. Seus dirigentes precisam ter mandato para evitar ingerências políticas. É importante fortalecer o cargo de delegado e dar a ele mais garantias, como a inamovibilidade”, enfatizou o presidente da Adeppe, Bruno Bezerra.
A Adeppe, filiada à Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol do Brasil), também divulga e apoia a nota conjunta emitida pela Adepol do Brasil e Federação Nacional dos Delegados de Polícia Civil (Fendepol). No texto, as entidades propõem que seja retomado no Congresso Nacional o projeto de lei (PLS) 474/2017, que estabelece mandato de dois anos, permitida uma recondução, ao diretor-geral da Polícia Federal e das Polícias Civis.
“Uma vez introduzida [a proposição legislativa] em nosso ordenamento jurídico evitaria esse quadro de insegurança institucional na gestão das Polícias Civis e Federal de nosso país e preservaria politicamente as políticas governamentais de eventuais polêmicas relacionadas a mudanças de quadros na direção de tais corporações, tal como ocorre recorrentemente em diferentes Governos”, enfatizam a Adepol do Brasil e a Fendepol.





MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Com salário líquido de R$ 7,9 mil, Secretário de Geraldo Júlio, preso pela PF por desvios no DER, confessa prática de agiotagem e posse de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Prefeitura silencia