Atendimento psicológico por telefone registra quase 100 atendimentos durante o isolamento social no Paulista

Foto: Divulgação  

Com as medidas mais rígidas de isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus em todo o País, as pessoas têm passado mais tempo em casa privadas das suas atividades básicas como ir ao trabalho, ou à faculdade ou escola, fazer compras ou realizar exercícios físicos.  

O confinamento tem causado um período de incertezas e insegurança e por causa disso, uma parte da população tem desencadeado uma série de consequências psicológicas como depressão, crises de ansiedade, estresse e irritabilidade.

Como as pessoas não podem sair de casa e buscar atendimento num consultório físico, a Secretaria de Saúde do Paulista implantou desde o mês de março, o serviço de teleatendimento com orientação psicológica para a população do município.

O teleatendimento conta com três psicólogos que atendem as chamadas e realizam o acolhimento, passando orientações sobre como agir diante desse cenário da pandemia do Coronavírus. Quem necessitar dessa ajuda pode ligar nos contatos: 9. 9981.0553, 9. 9981.0911 ou 9. 9981.0933. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Entre o período de 24 de março até 08 de maio, a Secretaria registrou 93 atendimentos. Entre as principais queixas estão angústia, tristeza, ansiedade, pânico e depressão que se agravaram por conta do distanciamento social.

Nos casos em as pessoas necessitam de um atendimento presencial, o psicólogo realiza o encaminhamento do usuário para o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Teresa Noronha, em Pau Amarelo. 

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos