Época em que Carla Patrícia foi Delegada de Combate ao Crime Organizado foi a que houve mais Operações Especiais em Pernambuco, revelou Valeixo, em depoimento à PF



O blog apurou que o cargo de Corregedora da SDS é um cargo técnico e que a delegada Carla Patricia Cintra foi convidada pelo Delegado Antônio de Pádua, com quem a delegada trabalhou durante anos e não pelo Governador Paulo Câmara.

A qualidade do trabalho técnico de Carla Patrícia foi confirmado em depoimento do próprio Valeixo, ontem, à Polícia Federal 

Leia o trecho do depoimento de Valeixo sobre as razões da nomeação de Carla Patrícia para a Superintência de Pernambuco:


QUE nos outros casos mencionados pelo então ministro MORO ao depoente o assunto não foi a público; QUE o assunto sobre a mudança da atual superintendência de Pernambuco foi tratado com o então ministro Sérgio MORO e que o questionamento dizia respeito ao fato de que a então titular da SRPE tinha exercido um cargo na Secretaria de Estado equivalente a Secretaria de Segurança Pública; QUE foi esclarecido pelo depoente que a escolha da atual SRPE teria sido técnica e com a mesma teria ocupado diversos cargos estratégicos naquela Superintendência; QUE o depoente destacou que na época em que Carla Patrícia era delegada Regional de combate ao Crime Organizado a SRPE foi o período em que houve mais Operações Especiais; Perguntado: havia algum problema de produtividade na SR/RJ em agosto de 2019, conforme apontado pelo Presidente da República como motivo para a troca naquela superintendência? 

MAIS VISITADAS DO MÊS

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos