Morre de covid-19 secretário que ordenou Massacre de Eldorado dos Carajás



Publicado por Kiko Nogueira no DCM


Paulo Celso Pinheiro Sette Câmara morreu no domingo, dia 10, vítima da covid-19.

Estava internado havia dez dias no Hospital da Amazônia e acabou não resistindo.

Foi sob sua orientação que em 1986 foram instituídos, no Pará, o Sistema Integrado Estadual de Segurança Pública e Defesa Social e o Conselho de Segurança Pública do Meio Norte, dos quais foi presidente.

Recebeu duas comendas, uma delas em 2019.

Em 1996, Sette Câmara foi protagonista do Massacre de Eldorado do Carajás, em que dezenove sem-terra foram assassinados no sul do estado.

O caso aconteceu durante o governo de Almir Gabriel e a ordem para a chacina partiu de Sette Câmara, então Secretário de Segurança.

Confessou que autorizara “usar a força necessária, inclusive atirar”.

De acordo com os sem-terra ouvidos pela imprensa, os policiais chegaram lançando bombas de gás lacrimogêneo.

Segundo o legista Nelson Massini, pelo menos dez vítimas foram executadas à queima-roupa e sete lavradores foram mortos com foices e facões.

Não foi nem sequer arrolado no processo.

Em 2011, virou assessor jurídico-administrativo do TRT-8ª Região. Em 2019, recebeu duas comendas.

Na campanha, Bolsonaro foi à Curva do S, um trecho da BR-155, cenário da carnificina, onde discursou em defesa da libertação dos PMs condenados a 228 anos de prisão.

“Quem tinha que estar preso era o pessoal do MST, gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer”, discursou em frente a troncos de castanheiras queimados que marcam o lugar.

MAIS VISITADAS DO MÊS

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos