Patricia Domingos e Fiscaliza Brasil denunciam, à CGU, leitos inoperantes e EPIs de baixa qualidade em hospital da Prefeitura do Recife

Foto: Simepe
"O SIMEPE informou que, na madrugada do dia 05/05, a tenda onde funciona a unidade de isolamento provisório da policlínica citada, precisou ser evacuada às pressas em razão de um curto circuito, sendo os pacientes removidos para outras unidades".
A delegada Patrícia Domingos, pré-candidata do Podemos à Prefeitura do Recife e a ONG Fiscaliza Brasil, denunciaram, à Controladoria Geral da União,  a existência de leitos inoperantes e EPIs de baixa qualidade, no Hospital Provisório Recife II, no bairro Coelhos, e na Policlínica e Maternidade Barros Lima, em Casa Amarela.

A denúncia foi encaminhada ao canal exclusivo, criado pela CGU, para que qualquer cidadão possa enviar manifestações relativas à prestação de serviços, ou atuação de agentes públicos, relacionadas ao novo coronavírus. 

Veja o vídeo com a denúncia


Em nota, enviada à imprensa, a delegada e o presidente da Fiscaliza Brasil esclarecem que d
ecidiram fazer a denúncia em "razão dos graves fatos noticiados pela imprensa local, bem como em inspeções presenciais realizadas e divulgadas por parlamentares pernambucanos"  e " pelo Sindicato dos Médicos de Pernambuco (SIMEPE)".


"Inclusive, em nota oficial, o SIMEPE informou que, na madrugada do dia 05/05, a tenda onde funciona a unidade de isolamento provisório da policlínica citada, precisou ser evacuada às pressas em razão de um curto circuito, sendo os pacientes removidos para outras unidades", diz a nota.

Foto: Simepe

A Delegada e o Presidente da Fiscaliza Brasil ainda constataram que, na área do site da Prefeitura do Recife que deveria conter informações sobre os gastos com o combate ao COVID-19, não há informação alguma. “O prefeito do Recife tem tentado realizar gastos astronômicos com produtos e serviços que não se justificam em um estado de calamidade, como o caso da compra de celulares por R$ 1,6 milhões. A ausência da transparência impede a fiscalização por parte da população. Esse dinheiro é do povo, nós temos o direito de saber como ele está sendo gasto” declarou a Delegada. 

O Presidente da ONG, Thiago Lira, informou que a prefeitura já recebeu em torno de R$ 22 milhões do Governo Federal e que irá receber mais R$ 157 milhões, e o uso desses valores precisa ser fiscalizado pela Controladoria Geral da União e também pela população, exigindo que a prefeitura do Recife passe a agir de forma transparente e alimente o portal da transparência com o detalhamento desses gastos”. 

Leiam a nota na íntegra:

"Em razão dos graves fatos noticiados pela imprensa local, bem como em inspeções presenciais realizadas e divulgadas por parlamentares pernambucanos no Hospital Provisório Recife II, no bairro Coelhos, e pelo Sindicato dos Médicos de Pernambuco (SIMEPE), na Policlínica e Maternidade Barros Lima, em Casa Amarela, demonstrando a existência de leitos inoperantes e EPIs de baixa qualidade, a Delegada Patrícia Domingos e a ONG Fiscaliza Brasil formalizaram denúncia junto à Controladoria Geral da União (CGU). 

A denúncia foi encaminhada ao canal exclusivo, criado pela CGU, para que qualquer cidadão possa enviar manifestações relativas à prestação de serviços, ou atuação de agentes públicos, relacionadas ao novo coronavírus. Inclusive, em nota oficial, o SIMEPE informou que, na madrugada do dia 05/05, a tenda onde funciona a unidade de isolamento provisório da policlínica citada, precisou ser evacuada às pressas em razão de um curto circuito, sendo os pacientes removidos para outras unidades.

A Delegada e o Presidente da ONG ainda constataram que, na área do site da Prefeitura do Recife que deveria conter informações sobre os gastos com o combate ao COVID-19, não há informação alguma. “O prefeito do Recife tem tentado realizar gastos astronômicos com produtos e serviços que não se justificam em um estado de calamidade, como o caso da compra de celulares por R$ 1,6 milhões. A ausência da transparência impede a fiscalização por parte da população. Esse dinheiro é do povo, nós temos o direito de saber como ele está sendo gasto” declarou a Delegada. O Presidente da ONG, Thiago Lira, informou que a prefeitura já recebeu em torno de R$ 22 milhões do Governo Federal e que irá receber mais R$ 157 milhões, e o uso desses valores precisa ser fiscalizado pela Controladoria Geral da União e também pela população, exigindo que a prefeitura do Recife passe a agir de forma transparente e alimente o portal da transparência com o detalhamento desses gastos”. 

Enquanto pessoas morrem aguardando leitos e os heróicos profissionais da saúde são expostos a risco, a prefeitura omite da população como esses valores são empregados. 

A Delegada e o Presidente da ONG também criticaram o fato da maioria dos vereadores não terem aprovado, no dia de ontem, o projeto de autoria do vereador Renato Antunes, que previa a criação de uma comissão parlamentar provisória para fiscalização dos gastos públicos com a pandemia. 

Delegada Patrícia Domingos e Thiago Lira - Presidente da ONG Fiscaliza Brasil





MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Com salário líquido de R$ 7,9 mil, Secretário de Geraldo Júlio, preso pela PF por desvios no DER, confessa prática de agiotagem e posse de R$ 1,4 milhão em dinheiro. Prefeitura silencia