PF apreendeu um celular e um comprovante de depósito do Bradesco no gabinete do Secretário de Saúde do Recife



No Auto Circunstanciado de Busca e Arrecadação, lavrado pela Polícia Federal, referente à diligência na Secretaria de Saúde do recife, no último dia 22 de maio, consta a informação de que no Gabinete do Secretário de Saúde, Jailson Correia, foram apreendidos um celular e um recibo de depósito do Bradesco, em que o secretário consta como favorecido. Não há detalhes sobre a origem desse depósito. Na residência do Secretário, nada foi apreendido.

À Polícia, no momento das buscas, o secretário afirmou que os respiradores montados nunca haviam sido usados em seres humanos e que foram testados em pulmões mecânicos.

Além disso, afirmou que atualemente estão funcionando 127 leitos de UTI, nos hospitais da Prefeitura do Recife e que destes, 122 foram colocados em funcionamento com a aquisição recente de respiradores.

O secretário ainda informou que alguns desses respiradores foram doados por empresários que iriam doá-los ao Hospital Português e decidiram destiná-los aos hospitais da Prefeitura. Disse ainda que aguardavam a chegada de mas respiradores adquiridos à empresa Magnamed.




MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia