Presidente do PSB diz que o PT vai cuidar da própria vida: "Nós não dependemos do PT"



Com vários petistas pendurados nas tetas da Prefeitura do Recife e do Governo de Pernambuco, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, disse que o PT não depende do PSB, assim como o PSB não depende do PT. 

As declarações de Siqueira se deram em razão da discordância dos petistas em apoiar o impeachment de Bolsonaro.

Ainda segundo Siqueira, o PT “tem todo o direito” de pensar que partidos de oposição se precipitaram ao pedir o impeachment de Jair Bolsonaro. “É a opinião deles. A nossa é que não houve e não há precipitação. Agora, é um direito do PT pensar diferente.” 

Siqueira afirmou também: “O problema do PT é que, quando o Lula saiu da prisão, em vez de ele fazer um discurso de unidade, ele fez o que fez: disse que o partido teria candidato em todas as capitais [nas eleições municipais deste ano]. Então, não querem unidade coisa alguma.” O líder partidário acrescentou: “Nós vamos cuidar da nossa vida e o PT vai cuidar da dele. Nós não dependemos do PT, nem eles de nós.”

A pergunta que não quer calar: nesse "cuidar da própria vida está incluída a devolução dos cargos que o PT ocupa nos governos do PSB?

As informações são do Antagonista.

MAIS VISITADAS DO MÊS

São dois, os Secretários de Geraldo Julio, presos pela Polícia Federal, ontem, por desvios em obra da BR 101, ambos indicados por Sebastião Oliveira

Mãe "rica" da "Beira Mar" reclama de escola cearense que coloca seus filhos em aulas on line com crianças de "outro nível". Escola emite nota lamentando discriminação

Com Covid19, Sikêra Jr. chora ao vivo e alerta: "não façam como eu fiz. Não subestimem a doença"

Exclusivo: Deputado Sebastião Oliveira, de Pernambuco foi alvo de buscas e apreensões da PF na Operação Outline. Dois ex-servidores do DER foram presos na manhã de hoje

Juiz faz Inspeção nas unidades de saúde para Covid-19, de Pernambuco, e oficia MPPE e MPF, para que investiguem possíveis crimes na ocorrência de óbitos por falta de UTIs no Estado que até hoje não explicou com o que gastou R$ 9,7 bilhões recebidos do SUS e repassados a OSs