"Recife está se destacando nacionalmente pelos casos de corrupção na pandemia e Vereadores não tomam providências", denuncia o presidente do Sinpol, Aureo Cisneiros



O Presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Áureo Cisneiros, denunciou, na tarde de hoje, 23, em suas redes sociais, em vídeo onde faz um apelo à Câmara de Vereadores para que ajam com mais eficiência na fiscalização dos recursos públicos destinados para o combate a pandemia ocasionada pelo novo Coronavírus. 

 A Gestão Geraldo Júlio vem sendo alvo de diversos casos investigativos relacionados a superfaturamentos em licitações, enfrentando também uma grave crise moral tendo secretários presos pela policia Federal, o que para Áureo é inaceitável e caracteriza omissão por parte da câmara de vereadores. “Recife se tornou protagonista e está sendo visto por todo território nacional como uma gestão com muita falta de transparência e com diversos casos de corrupção”, refletiu, e enfatizou a necessidade de instalação de uma Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) para apurar tais denúncias.






MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

É tetra! Prefeitura do Recife recebe a quarta "visita" da Polícia por fraudes na pandemia, desta vez foi a DECOT. A prefeitura nega envolvimento