Secretários de Geraldo Julio, presos pela Policia Federal, são exonerados "a pedido"



Sem alerde, o Prefeito Geraldo Julio, do Recife, exonerou, "a pedido", os dois secretários executivos indicados pelo deputado federal Sebastião Oliveira, do Centrão, que foram presos, na semana passada, pela Polícia Federal, no âmbito da Operação Outiline, que investiga uma organização criminosa formada por políticos, empresários e servidores públicos que teria desviado pelo menos R$ 4 milhões, por meio de empresas fantasmas, de uma obra orçada em R$ 191 milhões na BR 101, em Pernambuco.

Os crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de capitais atribuídos aos agora ex-secretários executivos da Pasta do Trabalho da PCR, teriam sido praricados ao tempo em que Shebna Machado e Silvano Queiroga ocupavam cargos no DER, órgão estadual vinculado à secretaria de Transportes, na época comandada por Sebastião Oliveira, que apesar da exoneração de seus dois aliados, ainda mantém o comando sobre a Secretaria do Trabalho de Geraldo Julio,  que tem como titular Antonio Neto.

Com isso, Sebastião Oliveira mantém um pé na Prefeitura do Recife, comandada pelo PSB e outro no governo Bolsonaro, onde indicou outro ex-comissionado do DER, Marcos Alberto de Araújo Leão Filho, para a diretoria geral do DNOCS.

Sebastião Oliveira foi alvo de buscas e apreensões em trés de seus endereços na mesma Operação Outiline, que levou ã prisão os dois secretários de Geraldo Julio.

Os dois ex-secretários tiveram suas prisões temporárias convertidas em prisão domiciliar pelo Juiz da 13. Vara Federal, em Pernambuco.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos