Alepe e Câmara do Recife serão investigadas pelo DRACCO por contratar empresas de fachada que fraudaram 131 licitações em Pernambuco, ligadas a Sebastião Figueroa. Fraudes superam a casa dos R$ 130 milhões


Durante coletiva de imprensa, realizada há pouco, a Polícia Civil de Pernambuco revelou que a organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro e fraudes em licitações, que foi alvo, ontem, de três operações, duas da Polícia Federal, por contratos com a Prefeitura do Recife, do Cabo, de Paulista e de Olinda e uma da própria Polícia Civil, na Prefeitura de Petrolina,  comandada pelo empresário Sebastião Figueroa, conhecido por emprestar dinheiro a políticos, teria fraudado pelo menos 131 licitações e causado danos ao Erário em valores superiores aos R$ 130 milhões.

Segundo o delegado que comandou a Operação, entre os contratos fraudulentos que serão investigados a partir da Operação de ontem, figuram aqueles contratados com a Câmara Municipal do Recife e com a Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Há pouco, o Blog da Noelia Brito revelou que o grupo criminoso contaria como seu intermediário em negócios escusos, com o ex-Gerente Geral da Secretaria de Governo de Geraldo Júlio, o ex-deputado Beto Accioly, suspeito, segundo a PF de intermediar contratos milionários da ALEPE com essas empresas de fachada "especializada em lavagem de dinheiro".

PF na mansão do ex-gerente geral da secretaria de Governo de Geraldo Julio, em Aldeia (Foto: Blog do Ricardo Antunes)


Na decisão da Justiça Federal que autorizou medidas de buscas e apreensões em secretarias da Prefeitura do Recife, do Cabo e de Paulista, por suspeitas de fraudes na contratação da empresa AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA., com recursos do combate à pandemia, empresa cujo verdadeiro dono seria o empresário Sebastião Figueroa, o juiz federal Cesar Arthur, da 13ª Vara Federal, especializada processos que envolvam crimes de lavagem de dinheiro, apontou que uma outra empresa do grupo criminoso (segundo a PF, o grupo comandado por Figueroa seria especializado em lavagem de dinheiro), a GRÁFICA CANAÃ, venceu a Dispensa de Licitação n.º 009/2020, da Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos da Prefeitura do Recife/PE, para o fornecimento de cartas personalizadas. O orçamento foi de R$ 42.426,26.

Os sócios da GRÁFICA CANAÃ são os irmãos SUELLEN MENDONÇA FIGUEIROA e DAVIDSON MENDONÇA FIGUEIROA, ambos filhos de SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA. O Relatório n.º 48003, do Coaf, a GRÁFICA CANAÃ transferiu o montante de R$ 136.016,00 para a AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA., a exemplo da UNIPAUTA FORMULÁRIOS LTDA., outra empresa integrante do grupo econômico criminoso, remetente de R$ 190.000,00, de 01/07/2018 a 25/02/2019.

Com base nisso e em outros elementos indiciários nos autos, a Polícia Federal atribui a SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA, proeminente empresário na área de e gráfica, os crimes de lavagem de dinheiro (os crimes antecedentes factoring seriam a falsidade ideológica e superfaturamento) e de corrupção ativa. O que pressupõe que servidores dessas Prefeituras podem ter recebido propina para legitimar as contratações fraudulentas.

Uma das empresas destacadas na representação da Polícia Federal, que resultou nas buscas e apreensões de ontem, e que comporiam o grupo criminoso, formado por empresas de fachadas e "laranjas", com atuação em lavagem de dinheiro, é a ARQUIVO DIGITAL GESTÃO DOCUMENTAL EIRELI, sendo a sócia única MARIA BETANIA LOPES SANTANA. Entretanto, diligência no local, realizada pela PF, constatou que a sede seria o escritório da WORKSPOT COWORKING, empresa diversa.

De acordo com a decisão judicial, a ARQUIVO DIGITAL GESTÃO DOCUMENTAL EIRELI não teria funcionários registrados, nem veículo, a despeito de ter recebido pagamentos públicos da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco da ordem de R$ 1.693.748,00. Segundo o Relatório de Informação Financeira 48802, segundo o magistrado, a ARQUIVO teria auferido o montante de R$ 3.936.948,22, de abril de 2018 amarço de 2019. Metade disso teria advindo de empresas pertencentes a SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA, sendo R$ 985.000,00 da GRÁFICA A ÚNICA e R$ 600.000,00 da UNIPAUTA FORMULÁRIOS.

Os débitos, por sua vez, seguiram o mesmo padrão das anteriores - fracionamento: total de R$ 3.938.915,31, sendo R$ 842.958,90 em espécie e o restante por meio de cheques. Dessarte, tudo indica que a ARQUIVO DIGITAL GESTÃO DOCUMENTAL EIRELI, empresa, repita-se, contratada pela ALEPE por mais de um milhão de reais, poderia ser uma mera peça de lavagem de dinheiro.

Segundo a autoridade policial, uma denúncia anônima teria imputado a um grupo econômico liderado por SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA um esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propinas em contratações emergenciais no combate à pandemia do novo coronavírus. As vantagens indevidas estariam sendo recolhidas por um cidadão nominado "LUCIANO FERRAZ".

A autoridade policial, buscando alguém beneficiado com créditos do suposto grupo econômico com nome semelhante, deparou-se com a possibilidade de tal pessoa tratar-se de LUCIANO CYRENO FERRAZ, sócio da META TERRAPLANAGEM EREILI EPP. Segundo o Coaf, ele teria recebido os seguintes valores: R$ 20.000,00 de DAVIDSON MENDONÇA FIGUEIROA, o filho de SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA e sócio da EDITORA CANAÃ; R$10.000,00 da ARQUIVO DIGITAL GESTÃO DOCUMENTAL EIRELI; R$ 961.000,00 da GRÁFICA A ÚNICA. Além disso, o RIF 49544 informa que teria havido inúmeros depósitos, em espécie, na conta do posto de gasolina POSTO TRIÂNGULO LTDA., nome de fantasia "Posto Bom Jesus", localizado no Município de Paudalho/PE, de sua propriedade, levantando suspeitas de lavagem de dinheiro.
"Voltando-se agora propriamente para os indícios da existência de um esquema de pagamento de propinas, exsurge JOSÉ ROBERTO DE SANTOS MOURA ACCIOLY. Ele exercera o cargo de deputado estadual até fevereiro de 2019, abandonando o mandato em face de sua nomeação para Gerente Geral de Governo da Secretaria de Governo e Participação Social da Prefeitura do Recife/PE. Atualmente é pré-candidato à Prefeitura de Camaragibe para as eleições 2020."

O fato de que Beto Acciolly era alvo da operação foi noticiado, em primeira mão, pelo Blog do Ricardo Antunes.

A Secretaria de Governo a que Roberto Accioly, mais conhecido como Beto Accioly, era Gerente Geral e da qual se desvinculou apenas para ser candidato a Prefeito de Camaragibe, é comandada pelo braço direito do Prefeito Geraldo Júlio, João Guilherme Ferraz, que coincidentemente ou não, possui o mesmo sobrenome de Luciano Ferraz. Serão parentes?

Na decisão do Juiz Cesar Arthur extrai-se o seguinte: "Os primeiros indícios de ligação com o grupo econômico datam de 2018 e são os seguintes: na sua declaração das despesas de campanha apresentada ao TRE/PE, consta a doação de R$ 72.174,00 da UNIPAUTA FORMULÁRIOS LTDA.; vencida a eleição para deputado estadual, FABIANA CRISTINA OLIVEIRA RABIN e FÁBIO RICARDO DE OLIVEIRA RABIN, os sócios formais da AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA. passaram a exercer funções comissionadas em seu gabinete, segundo a CGU. Relembro ter dito antes que FABIANA CRISTINA OLIVEIRA RABIN e SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA tiveram um filho juntos e seriam supostos companheiros. Mais recentemente, o RIF 48802 teria revelado que IVANA ELEN RODRIGUES PEREIRA, uma ocupante de cargo comissionado no gabinete de JOSÉ ROBERTO DE SANTOS MOURA ACCIOLY, até a renúncia deste ao cargo eletivo, recebera 04 transferências bancárias de SEBASTIÃO FIGUEIROADE SIQUEIRA, no montante de R$ 290.445,00. Segundo o DPF/MPF, considerando que o grupo econômico de SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA firmou vários contratos com a Assembleia Legislativa, auferindo milhões de reais, isso constituiria forte indício de o destinatário final desse volume ter sido o então deputado estadual."

No presente momento, aponta o magistrado, a "AJS COMÉRCIO E REPRESENTAÇÃO LTDA. é justamente a principal suspeita de falsidade ideológica e contratações superfaturadas pelas Prefeituras de Recife, Cabo de Santo Agostinho, Olinda e Paulista nas dispensas de licitação para o combate à Covid-19. Essa narrativa realmente sinaliza a possibilidade de um relacionamento escuso entre o ex-agente político e o grupo empresarial, ao menos desde 2018, remanescendo até hoje." Perceba-se que conforme apontado na própria decisão, Beto Accioly exercia função de extrema confiança do secretário de Governo e braço direito do Prefeito Geraldo Julio, João Guilherme Ferraz, para não dizer, do próprio prefeito, cargo que só deixou pela necessidade de desincompatibilização, para disputar o cargo de prefeito de Camaragibe.

O magistrado conclui que "No caso, as provas de materialidade delitiva e indícios de autoria esmiuçadas no item anterior dão substrato sólido à fundada suspeita de SEBASTIÃO FIGUEIROA DE SIQUEIRA ter montado em grupo econômico, com uso de 'laranjas' e empresas 'de fachada', para lograr contratações irregulares pela Prefeitura de Recife e, quiçá, pelos municípios de Cabo de Santo Agostinho, de Olinda e de Paulista, notadamente nas dispensas de licitação para o combate à Covid-19, mediante o uso de documentos ideologicamente falsos e propostas superfaturadas,com verbas egressas do SUS."

Com a palavra, os citados na matéria.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: Polícia Civil de Pernambuco prende maior estelionatário do Nordeste. Hacker, que estava foragido, foi preso pela Delegacia do Cordeirro. Golpes ultrapassam a casa dos R$ 100 milhões

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia