JFPE estende prazo de prisão de investigados na Operação Estatueta, de combate ao tráfico internacional de drogas


A 13ª Vara Federal deferiu o requerimento formulado pelo Departamento da Polícia Federal para estender o prazo da prisão temporária dos investigados na Operação Estatueta, de cinco para 30 dias. De acordo com as investigações, trata-se de um suposto grupo criminoso voltado ao tráfico internacional de drogas e à lavagem de dinheiro. Na última segunda-feira (22), após a busca e apreensão nos endereços dos investigados, o Juízo tinha decretado a prisão temporária (até cinco dias). De acordo com os autos, o entorpecente seria adquirido na Bolívia ou na Venezuela para fins de remessa à Europa, dentro de estatuetas com a figura de Buda e objetos diversos, mediante a utilização de "mulas". Há indícios também da lavagem do capital oriundo do tráfico.


‘A restrição da liberdade se impunha para evitar que os indiciados agissem de forma a dificultar a instrução criminal, através da ocultação e/ou eliminação de provas documentais imprescindíveis para a elucidação dos fatos. O fundamento fático para a adoção da aludida prisão foi a necessidade de realização de diligências pelas autoridades investigativas, a exemplo da oitiva dos investigados e de testemunhas, bem como a adequada análise preliminar do material apreendido por ocasião das buscas, medidas essas também autorizadas judicialmente”, afirmou o juiz em sua decisão. Nove investigados tiveram o prazo das prisões temporárias estendido até o dia 22/07/20. Outro, com cumprimento pendente, também teve prazo de prisão de 30 dias.
 

Entenda o caso


Durante as buscas na residência de um dos investigados, na última segunda-feira (22), a Polícia Federal apreendeu grande quantia em dinheiro, acondicionada dentro de eletrodomésticos, tais como geladeira e freezer, além de pedras preciosas. Na ocasião, a 13ª Vara Federal decretou a prisão temporária. A autoridade policial, com base no art. 2º, § 4º, da Lei dos Crimes Hediondos (nº 8.072/90), requereu a extensão da custódia dos investigados pelo prazo de 30 dias, medida que teve a concordância do Ministério Público Federal.


Com informações da Assessoria de Comunicação da Justiça Federal em Pernambuco

MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Exclusivo: Saiba quem são todos os 41 alvos das Operações Casa de Papel e Antídoto, deflagradas hoje, pela PF, e que também teve como alvos as Prefeituras do Recife, do Cano, de Paulista e de Olinda

Advogado dos Bolsonaro, Wasef, teve pedido de prisão em inquérito que investigou seita satanista suspeita de matar crianças em rituais. Seita tinha integrantes também em Pernambuco

DRACCO faz operação contra Sebastião Figueroa, maior fornecedor de produtos gráficos para políticos e governos em Pernambuco. Veja as imagens exclusivas do Blog da Noelia Brito

Covidão: PF faz buscas nas Prefeituras do Recife, Paulista, Cabo e Olinda contra corrupção na pandemia