Polícia Federal já instaurou pelo menos 15 inquéritos para investigar desvios de recursos públicos na pandemia, em Pernambuco


A Polícia Federal revelou, durante a coletiva de imprensa, hoje, 16, na sede da instituição, para falar sobre os detalhes das Operações Casa de Papel e Antídoto, que tiveram como alvos as Prefeitura do Recife, do Cabo de Santo Agostinho, de Olinda e de Paulista, além de empresários e pessoas apontadas como "laranjas" da organização criminosa que vendeu EPIs para essas Prefeituras, que cerca de 15 inquéritos já teriam sido instaurados para investigar desvios de recursos públicos durante a pandemia de COVID-19.

Até o momento, esses 15 inquéritos resultaram em três Operações. Além das já citadas Casa de Papel e Antídoto, uma terceira, chamada de Apneia e que também teve como alvo a Prefeitura do Recife, investiga a compra de (CENSURADO PELO TJPE) que sequer tinham autorização da ANVISA para sua utilização em humanos.

Não foram dados mais detalhes sobre as demais investigações nem quem seriam os investigados.

Por sua vez, a Controladoria Geral da União informou que analisa mais de 300 dispensas de licitação, apenas em Pernambuco, envolvendo recursos federais destinados à pandemia.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos