São dois os "laranjas" de Sebastião Figueroa empregados no gabinete de Wanderson Florêncio. Revelação é do Blog do Ricardo Antunes


Da esqueda para a direita: Antonio Figueiroa (Toinho do Pará), Yanara Feitosa, Fabiana Rabin e Sebastião Figueiroa, Diogo Moraes (ex-preimeiro-secretário da Alepe e esposa)




















O Blog do Ricardo Antunes revelou, em primeira mão, que além de Fabiana Rabin, que é a atual companheira do empresário Sebastião Figueiroa, apontado pela PF e pelo DRACCO, como chefe de uma orcrim especializada em lavagem de dinheiro, uma outra pessoa ligada a Figueiroa teria cargo no gabinete do deputado estadual Wanderson Florencio, do PSC.

Trata-se de Yanara Cristina Batista Feitosa, que exerce o cargo de Assessora Especial no gabinete de Wanderson Florencio. Yanara é a atual mulher do ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, Antonio Figueiroa, atualmente vereador do PSB naquela cidade e conhecido como Toinho do Pará. Antonio Figueiroa ou Toinho do Pará é irmão de Sebastião Figueiroa.

Sebastião Figueiroa foi alvo, juntamente com Fabiana, de operação da Polícia Federal e do DRACCO por suspeita de comandar um esquema criminoso, formado por laranjas, especializado em lavagem de dinheiro.


Um fato curioso é que apesar de se colocar como oposição ao PSB, de quem já foi aliado, Wanderson abriga em seu gabinete a esposa de um dos principais aliados do ex-primeiro-secretário da ALEPE, Diogo Moraes, do PSB, em Santa Cruz do Capibaribe.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Mapa da Vergonha: Pernambuco é o Estado com o maior número de irregularidades investigadas na pandemia, aponta documento da Polícia Federal

EXCLUSIVO: PF PRENDE PREFEITO E VICE DE AGRESTINA

Operação Desumano: Orcrim que assalta cofres da Saúde do povo pernambucano há anos é desbaratada em megaoperação da PF, CGU, MPF e MPPE (GAECCO). Prefeituras do Recife e de Jaboatão e empresário, líder da ORCRIM, entre os alvos