Alvos de Pernambuco "decretavam" execuções de dentro dos presídios do Estado, revela Gaeco de Alagoas, em coletiva sobre Operação nacional contra o PCC

Foto: Gaeco Alagoas


Em entrevista coletiva sobre a megaoperação desencadeada nacionalmente, que recebeu o nome de Flashback, mas que abarcou pelo menos outras três Operações de diversos órgãos, contra o chamado "Tribunal do Crime" do PCC, que determinava execuções de adversários, o GAECO de Alagoas revelou que todos os 15 alvos da Operação, em Pernambuco, já estavam presos e davam as ordens de execuções de dentro dos presídios pernambucanos.

Áudios divulgados no momento da coletiva promovida pelo GAECO do Ministério Público de Alagoas, para expor detalhes sofre a megaoperação desencadeada, hoje, 28, em 11 Estados, mostram a realização de um "julgamento" pelo Tribunal do Crime do PCC, onde três mulheres e um homem decretam e executam uma mulher integrante de outra facção.

Em outro áudio, é mostrado o "decreto" de execuções, por um dos líderes da organização criminosa. Na lista,  Pernambuco é citado como local onde dez pessoas devem ser executadas em razão de um decreto do Tribunal do Crime.

Na coletiva, ainda, as diversas autoridades presentes destacam o papel do chamado Núcleo "Damas do Crime" e a participação de mulheres em funções de destaque na organização criminosa, inclusive realizando pessoalmente as execuções. Segundo os investigadores, as prisões de líderes e membros da facção criminosa levou à necessidade de utilização de mulheres como braço operacional do PCC, inclusive nos chamados "justiçamentos".
Ainda segundo os investigadores, as execuções eram direcionadas contra membros de facções rivais e contra membros da facção considerados traidores. 
Durante os quatro meses em que as "Damas do Crime" foram monitoradas, com autorização da 17ª Vara Criminal de Maceió, foram constatadas ordens de execuções contra quatro pessoas, das quais três foram efetivadas e uma na forma tentada.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues

Braço direito de Geraldo Julio, João Guilherme Ferraz incentivou e até debochou do fato de serem adquiridos respiradores testados apenas em porcos: "Leia c bons olhos kkkkkkk"