Análise do celular de Figueiroa apreendido pela PF, revela "incontável quantidade de mensagens trocadas com políticos das mas diversas esferas e escalões", aponta pedido de prisão do empresário, negado pela justiça

Foto: ALEPE

Na representação criminal assinada pela Delegada da Polícia Federal, Andrea Pinho, em que é pedida a prisão temporária do empresário do ramo gráfico Sebastião Figueiroa, este é  "apontado como o líder de uma organização criminosa a qual se vale de um conglomerado de empresas, notadamente voltadas para a atividade de gráfica, beneficiadas com contratos públicos milionários firmados com os mais diversos órgãos estaduais e municipais, cujos valores eram então sacados em espécie, via de regra de forma fragmentada, e parte dos mesmos utilizada para pagamento de propina aos agentes públicos envolvidos nas contratações."

Além disso, a autoridade policial destaca que "esse esquema criminoso, já deveras duradouro, confere a SEBASTIÃO FIGUEIROA um enorme prestígio e influência no meio político. A análise de seu telefone celular, apreendido por ocasião da primeira fase da Operação Casa de Papel, revelou uma incontável quantidade de mensagens trocadas pelo aludido investigado com políticos das mais diversas esferas (especialmente municipal e estadual) e escalões (prefeitos, secretários, deputados, entre outros)."

Por outro lado, ainda segundo a PF, "os indícios amealhados demonstram que sua influência também se faz bastante presente no seio empresarial, na medida em que ele se alia a outros empresários, seus possíveis concorrentes, a fim de fraudar a real competitividade nos certames licitatórios e, uma vez mais, assegurar a contratação de suas empresas ou das empresas parceiras, garantindo, assim, a manutenção do esquema sob espeque."

 E prossegue: "Trata-se, assim, de um engrenagem criminosa que se retroalimenta: SEBASTIÃO FIGUEIROA frauda licitações e promete propinas a funcionários públicos a fim de ser favorecido com as contratações milionárias e os funcionários públicos, por seu turno, favorecem a contratações das empresas de FIGUEIROA para poderem receber suas vantagens pecuniárias indevidas. É o típico esquema do ganha-ganha, onde só quem perde é o Erário Público."

Fonte: PJE
Segundo a PF, "Diálogos encontrados no aplicativo WhatsApp do celular apreendido em poder de SEBASTIÃO FIGUEIROA demonstram que ele cedeu ao pedido de propina efetuado pelo pregoeiro da ALEPE, JOÃO PEDRO FERREIRA BELO DAUMAS, travestido de um convite para 'tomar um café' ( ), em razão do célere andamento que este estava promovendo nos sic processos de pagamento de suas firmas no âmbito daquela Casa Legislativa, bem assim na adesão integral a atas de registro de preço firmadas com as empresas do mesmo grupo econômico, sempre com o intuito de favorecer SEBASTIÃO FIGUEIROA."

"Demais disso, consoante consignado na peça inaugural deste procedimento, a corrupção ativa ora investigada diz respeito a apenas um, dentre as centenas de empenhos emitidos pela Assembleia Legislativa em favor das empresas controladas por SEBASTIÃO FIGUEIROA na última década, os quais, como já demonstrado, somam R$ 40 milhões de reais, sendo crível, assim, que não se trate de um pagamento isolado de vantagem indevida, mas que o montante total da corrupção ativa seja bem maior que o ora comprovado", aponta, ainda, a Polícia Federal na representação.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Pesquisa: Marília Arraes e Delegada Patrícia despontam empatadas na liderança da disputa para a PCR e podem protagonizar disputa inédita no Recife