Após receber notificação do TCE, gestão Geraldo Julio volta a divulgar dados sobre internações em leitos para Covid-19. E estava escondendo por quê?

Foto: Prefeitura do Recife


A Secretaria de Saúde do Recife voltou a incluir no seu boletim diário sobre o coronavírus, desde a última quarta-feira (29), os dados de disponibilização e ocupação dos leitos Covid-19 da rede municipal de saúde. A última vez que a gestão municipal havia oficialmente publicado as informações diárias ocorreu em sete de maio, através da conta institucional da Prefeitura no Recife no Twitter. O apagão de 83 dias motivou representação da deputada estadual Priscila Krause (DEM) nos órgãos de controle. O relator das contas da Prefeitura em 2020 no âmbito Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Carlos Porto, notificou o prefeito Geraldo Julio (PSB) para que prestasse informações sobre a falta de transparência.




Em resposta, a Secretaria de Saúde do Recife afirmou que a partir da quarta-feira, 29 de julho, os dados estariam disponibilizados no boletim diário divulgado pelo poder municipal. Conforme o boletim dessa quinta-feira (30), a ocupação na rede municipal alcançava 44% das vagas (322 de um total de 724) entre leitos de UTI e enfermaria. De acordo com as informações oficiais, havia 177 leitos de UTI e 225 de enfermaria vagos.






Para Priscila Krause, a divulgação desses dados deveria ser ação primária da gestão municipal desde o início da pandemia. “Nós tivemos dificuldade de acompanhar durante quase três meses esse andamento porque simplesmente a gestão municipal decidiu não divulgar. O prefeito chegou a utilizar, nos seus pronunciamentos gravados, dados da ocupação da rede estadual para justificar o fechamento de leitos municipais. Com o trabalho dos órgãos de controle, a sociedade volta a ter garantido esse direito, que envolve questão de saúde e também de controle social, pois se não sabemos quantos pacientes estão internados, ficamos impedidos de mensurar o gasto público municipal, que infelizmente demonstra ter ido pelo caminho da má gestão”, afirmou.

No ofício que requereu ao relator a notificação do prefeito a respeito do fato, o procurador Cristiano Pimentel registrou que o “número de leitos é importante para o exercício do controle social, inclusive sobre os gastos dos hospitais campanha”. Ele reforçou a necessidade de transparência dos dados, “que aparentemente tiveram sua publicação descontinuada pela Prefeitura”. A deputada estadual Priscila Krause vai cobrar que todos os dados retroativos sejam divulgados para que se possa ter a exata dimensão de como se comportou os atendimentos nos hospitais de campanha do Recife em maio, junho e julho. “Os dados que a Prefeitura vinha usando eram sempre no sentido da propaganda, de enfeitar números para tentar impressionar redes sociais. Não é assim que se trata uma pandemia”, registrou.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Pesquisa: Marília Arraes e Delegada Patrícia despontam empatadas na liderança da disputa para a PCR e podem protagonizar disputa inédita no Recife