Exclusivo: Justiça vê "indícios veementes" de apropriação irregular de recursos públicos e manda sequestrar R$ 21 milhões das contas da LOCAR, de Junior matuto e de sócios da empresa de limpeza urbana





Na decisão do desembargador Alexandre Assunção, que determinou o afastamento do Prefeito Junior Matuto, de Paulista, além das buscas e apreensões em imóveis de investigados, foi determinado o "sequestro de contas bancárias" até o valor total de R$ 21 milhões. De acordo com o magistrado, foi considerada a "existência de indícios veementes de apropriação indevida e irregular de valores provenientes de infrações penais ocorridas entre os anos de 2013 e 2017" na PPP da Limpeza Urbana firmada entre a Prefeitura do Paulista e a empresa LOCAR.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Pesquisa: Marília Arraes e Delegada Patrícia despontam empatadas na liderança da disputa para a PCR e podem protagonizar disputa inédita no Recife