GAECO/DF faz Operação no DF e em outros 7 Estados contra organização criminosa que comercializava testes rápidos que atestavam "falsos negativos" para Covid-19



Operação “Falso Negativo” acontece em sete estados brasileiros 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do MPDFT está cumprindo, na manhã desta quinta-feira, dia 02, 74 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal e em sete estados da União (SP, ES, RJ, BA, GO, SC, PR), para apurar ilegalidades praticadas em contratações que envolvem testes para detecção da COVID-19. Os mandados foram deferidos pela Justiça Criminal de Brasília e decorrem de uma investigação iniciada no GAECO/MPDFT. 

De acordo com as informações, existem fortes indícios de superfaturamento na aquisição dos insumos e ainda evidências de que marcas adquiridas seriam imprestáveis para a detecção eficiente do COVID-19 ou de baixa qualidade nessa detecção. 

O somatório do valor das dispensas de licitação sob investigação supera o valor de 73 milhões de reais. 

O processo corre em sigilo. Durante a operação e as investigações, o Gaeco tem tomado todas as cautelas em relação à situação de pandemia e à delicadeza do momento. 

O GAECO/MPDFT contou com o apoio dos seguintes órgãos: - CENTRO DE PRODUÇÃO ANÁLISE, DIFUSÃO E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (CI/MPDFT); - POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL (CECOR/DF); - COORDENADORIA DE SEGURANÇA E INTELIGÊNCIA DO MP/RJ; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DO RIO DE JANEIRO - MP/RJ; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DE SÃO PAULO - MP/SP; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DO ESPÍRITO SANTO - MP/ES; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DA BAHIA - MP/BA; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DE GOIÂNIA – MP/GO; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DE SANTA CATARINA - MP/SC; - GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO DO PARANÁ - MP/PR.

O Blog apurou que pelo menos 13 empresas seriam alvo da Operação.

Entramos em contato com o GDF, que ainda não se pronunciou.

A matéria foi atualizada para acrescentar informações que nos foram prestadas pelo MPDFT e segue em atualização

MAIS VISITADAS DO MÊS

Microempresas com capital social de R$ 200 mil e R$ 300 mil, alvos da Operação da Deccot, que cumpriu mandados também na Prefeitura do Recife, foram agraciadas com contratos de mais de R$ 18,6 milhões com a Prefeitura do Recife, na pandemia

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues