Militantes do PSOL dizem que decisão da burocracia partidária de apoiar Marília Arraes é arbitrária e ilegítima. Leiam nota.


Carta Aberta – Militantes independentes do Psol 

O PSOL é um Partido que, ao lado do Socialismo, escolheu a Liberdade como princípio. Destacar o princípio da Liberdade e do Socialismo em nossas bandeiras, lutas e projeto de sociedade é uma escolha que exige práticas coerentes com o compromisso democrático e de defesa da dignidade humana, do meio ambiente e da justiça social - dentro e fora do partido. A atuação dos parlamentares do PSOL é destaque onde quer que estejam e atuem. Nossa militância nunca se omitiu diante das crises e das agressões aos direitos do povo e à Democracia. Fugindo aos consensos fáceis e compreendendo as exigências da luta por uma nova sociedade, o Psol se colocou enquanto oposição à esquerda durante os Governos Lula e Dilma, mas não hesitou em combater firmemente a farsa golpista do Impeachment. No parlamento e nas ruas, resistimos, travamos a luta. No Recife, a militância do Psol esteve presente em todas as lutas. Mesmo pequenino, o Psol se mostrou gigante na defesa das pessoas e do direito à cidade. Nos últimos anos, nos vimos diante das contradições de governos progressistas e não nos isentamos da crítica, da luta ou da construção de uma cidade melhor para todas e todos. Eleitoralmente, apresentamos candidaturas e um projeto alternativo e de esquerda. Temos denunciado incansavelmente o autoritarismo e o desprezo pelas instituições e pela Democracia demonstrado por Bolsonaro, seus ministros e seguidores. Na defesa da Democracia, não cabem hesitações nem exceções. Estamos diante de uma surpreendente atitude autoritária de setores do partido que transformaram a Reunião de Direção - que deveria estabelecer os critérios para a realização das prévias internas e preparação à nossa convenção partidária - em um lamentável episódio de silenciamento das minorias partidárias e anulação do processo de consulta às bases. Desde novembro de 2019, havia duas pré-candidaturas, a do atual presidente estadual, Severino Alves, e a do Professor e ex-deputado Paulo Rubem Santiago. As duas pré-candidaturas continuavam postas até a última terça-feira, 07 de julho. É próprio a organização de nosso partido que, na existência de mais de uma pré-candidatura, as bases sejam consultadas em prévias. Reconhecemos a legitimidade da defesa de uma Frente de Esquerda e enxergamos o PSOL em condições de liderá-la. Reconhecemos a legitimidade da defesa, por alguns setores partidários, de alianças. Mas todo o debate precisa ser franco, público. É inadmissível que a mudança abrupta de uma tática eleitoral surpreenda parte da militância de um partido e sua base social. Em nenhum momento, desde a inscrição das pré-candidaturas à prefeitura do Recife, houve convocação da militância do Psol para debater de forma aberta e franca a composição de uma aliança, numa chapa ainda incerta. Falhou a comunicação. Mas falhou, sobretudo, a Democracia. Nós, militantes independentes, não reconhecemos a bandeira e os princípios do Psol na ausência de democracia. Pelo direito de decidir coletivamente, pelo respeito ao Estatuto partidário e, sobretudo, contra o silenciamento da base militante, pedimos o bom senso da anulação da arbitrária e ilegítima decisão feita através do voto de apenas sete dirigentes e sem consenso mesmo nesse grupo. 

Assinam, 

André Silva (Biomédico - PSOL/Caruaru) 
Agenor Fagundes (professor – PSOL/Olinda) 
Ana Karla Cavalcanti (publicitária – PSOL/Recife) Eduardo Amorin (jornalista – PSOL/Recife) 
Eva Duarte (Jornalista e Professora – PSOL/Olinda) 
Fernando Ribamar (Coletivo Antiproibicionista de Pernambuco – PSOL/Recife)
Jéssica Cabral (professora – PSOL/Vitória de Santo Antão)
Luciana Cavalcanti (professora – PSOL/Recife) 
Marcela Heráclio (profissional da Educação – PSOL/Recife) Milena Gomes (professora e geógrafa – PSOL/Recife) 
Pedro Rodrigo (pedagogo – TJPE – PSOL/Moreno) 
Priscila Viegas (Terapeuta Ocupacional; defensora do SUS e das liberdades democráticas – PSOL/Recife) 
Raquel Costa (Profissional de Educação – PSOL/Recife) Regina Coelho (professora – PSOL/Recife)

MAIS VISITADAS DO MÊS

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues

Braço direito de Geraldo Julio, João Guilherme Ferraz incentivou e até debochou do fato de serem adquiridos respiradores testados apenas em porcos: "Leia c bons olhos kkkkkkk"