Operação Paralelo 18/5 desarticula organização criminosa que transportava cocaína da fronteira com a Bolívia para o Nordeste do Brasil



Corumbá/MS – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (2/7) a Operação Paralelos 18/5, que investiga uma organização criminosa voltada ao transporte de cocaína, a partir da região de fronteira com a Bolívia, cujo destino eram municípios da Região Nordeste do país.

Participam da fase ostensiva da operação 48 policiais, que cumprem 9 mandados de prisão preventiva, além de 9 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Ladário/MS, Ponta Porã/MS, Campo Grande/MS, Anápolis/GO, Taguatinga/DF, Parnamirim/RN e Natal/RN.

As investigações revelaram que os criminosos carregavam entorpecentes, mais especificamente cocaína, na área da fronteira e os transportavam de barco pelos rios Paraguai e Taquari até a cidade de Coxim/MS. A partir de lá, a droga seguia por rodovias até a Região Nordeste.

A operação resultou no sequestro de mais de R$ 2,9 milhões em bens móveis e imóveis e na suspensão das atividades de duas empresas. No decorrer das investigações, foram apreendidos aproximadamente 257 kg de cocaína. A investigação está inserida na diretriz de atuação da Polícia Federal priorizando a desarticulação financeira e desarticulação estrutural das organizações criminosas, permitindo a responsabilização penal de seus principais líderes e beneficiados financeiramente pelas atividades ilícitas.


O nome da operação faz referência às latitudes que separam a origem e o destino da droga, em um trajeto que ultrapassava 3,7 mil quilômetros.

A Polícia Federal reforça que a atual pandemia não afetou as investigações e ações da instituição nos crimes de sua atribuição.



Comunicação Social da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Desembargador extingue reclamação do Estado de Pernambuco contra decisão do Juiz que mandou suspender retorno das aulas presenciais

Exclusivo: Geraldo Julio deixou de pagar mais de R$ 8,2 milhões devidos à Reciprev referentes a contribuições previdenciárias dos inativos da PCR, aponta Auditoria do TCE/PE