PF pediu a prisão de Sebastião Figueiroa e de um servidor da Alepe, mas a Justiça negou

30 de jul. de 2020

/ by Blog da Noelia Brito

Policial Federal realiza buscas na residência de um dos alvos da Operação Coffee Break (Foto: PF)

Alvo da primeira fase da Operação Casa de Papel, da Polícia Federal e da Operação Rip Stop, do Dracco, o empresário do ramo gráfico Sebastião Figueiroa teve pedida mais uma vez sua prisão, desta feita, pela Polícia Federal, que também pediu a prisão de um servidor flagrado em conversas pelo WhatsApp pedindo propina para liberar pagamentos ás gráficas de Cigueiroa.

Pedido anterior fora feito pelo Dracco, por ocasião da deflagração da Operação que investiga contratos do mesmo empresário com a Prefeitura de Petrolina.

Ambos os pedidos foram negados pela Justiça.

A deflagração de operações contra Sebastião Figueroa causou pânico entre políticos e gestores públicos, que são justamente os principais clientes das gráficas do empresário que também costuma emprestar dinheiro a empresários e políticos.
© Todos os direitos reservados - 2021