PF pediu a prisão de Sebastião Figueiroa e de um servidor da Alepe, mas a Justiça negou


Policial Federal realiza buscas na residência de um dos alvos da Operação Coffee Break (Foto: PF)

Alvo da primeira fase da Operação Casa de Papel, da Polícia Federal e da Operação Rip Stop, do Dracco, o empresário do ramo gráfico Sebastião Figueiroa teve pedida mais uma vez sua prisão, desta feita, pela Polícia Federal, que também pediu a prisão de um servidor flagrado em conversas pelo WhatsApp pedindo propina para liberar pagamentos ás gráficas de Cigueiroa.

Pedido anterior fora feito pelo Dracco, por ocasião da deflagração da Operação que investiga contratos do mesmo empresário com a Prefeitura de Petrolina.

Ambos os pedidos foram negados pela Justiça.

A deflagração de operações contra Sebastião Figueroa causou pânico entre políticos e gestores públicos, que são justamente os principais clientes das gráficas do empresário que também costuma emprestar dinheiro a empresários e políticos.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Durante julgamentos de interesse da gestão Geraldo Julio, um dos quais envolvendo a Casa de Farinha, Conselheiros do TCE/PE perdem a calma, gritam e interrompem Procuradora que combate a corrupção no Governo de Pernambuco e na Prefeitura do Recife

Exclusivo: TJPE determina afastamento do Prefeito de Paulista, Junior Matuto, a pedido do Dracco, por desvios de R$ 21 milhões em PPP do lixo com a empresa Locar

"Grampos" da Operação Locador, do DRACCO, mostram temor de investigados de que chefões da gestão Matuto lhes fizessem "mal" e espanto com pagamentos em dinheiro vivo feitos pelo prefeito na compra de terrenos

PF volta à Prefeitura do Recife em mais duas Operações por desvios de recursos públicos na pandemia: Bal MAsqué e Apneia III. Diretor Financeiro é afastado do cargo pro pagar mais de R$ 7 milhões por produtos jamais entregues

Braço direito de Geraldo Julio, João Guilherme Ferraz incentivou e até debochou do fato de serem adquiridos respiradores testados apenas em porcos: "Leia c bons olhos kkkkkkk"