Pré-candidata do PT à Prefeitura do Recife, Marília Arraes evita criticar o primo João Campos, pré-candidato do PSB à sucessão de Geraldo Julio, em live do Blog do Ricardo Antunes


Apesar de tecer críticas à gestão do atual prefeito do Recife, Geraldo Julio, do PSB e de até afirmar, a exemplo do que fez a pré-candidata do Podemos, Delegada Patrícia Domingos, de que seu primeiro ato como prefeita seria auditar os contratos da PCR, na qual seu Partido, o PT, comanda a Secretaria de Saneamento, a deputada Marília Arraes evitou criticar ou pelo menos avaliar o primo com quem deve disputar uma das vagas num eventual segundo turno.

Segundo o Blog do Ricardo Antunes, em live promovida pelo próprio Blog, "Marília Arraes é prima de João Campos e garantiu que sobre a capacidade e competência do primo gerir a cidade do Recife não está em sua alçada. “Isso não cabe a mim opinar. Isso é o que as urnas vão dizer. Ainda bem que a gente tem a democracia para isso”.

A pré-candidata, ainda segundo o Blog do Ricardo Antunes, "avaliou a importância das parcerias na construção da efetivação da candidatura e de uma gestão pautada no trabalho sério. Lembrou do apoio importante, 'mas vamos ver outros. Apoio a gente não rejeita", deixando no ar se o fato de poupar o primo não faria parte de uma estratégia para ter o apoio de João Campos e do próprio PSB num eventual segundo turno em que Marília Arraes viesse a disputar contra um dos candidatos da direita, no Estado.

MAIS VISITADAS DO MÊS

Forbes: Lista de bilionários brasileiros traz 16 cearenses e 6 pernambucanos. Saiba quem são.

Radar: João Campos recebe mais de R$ 5,2 milhões do Fundo Eleitoral do PSB e é recordista nacional de doações

Entidades ligadas a empresário preso hoje pela PF, por desvios na Saúde, receberam mais de R$ 781 milhões do Estado e de Prefeituras pernambucanas

Desembargador extingue reclamação do Estado de Pernambuco contra decisão do Juiz que mandou suspender retorno das aulas presenciais

Exclusivo: Geraldo Julio deixou de pagar mais de R$ 8,2 milhões devidos à Reciprev referentes a contribuições previdenciárias dos inativos da PCR, aponta Auditoria do TCE/PE